O que é Hard Reset? Saiba como gerenciar esse processo em celulares e tablets

É inevitável que um dispositivo móvel corporativo, seja um smartphone ou um tablet, acabe perdendo performance ou comece a apresentar problemas conforme o tempo de uso. Uma maneira de minimizar esses problemas é realizar o hard reset do aparelho. 

Mas quando é hora de realizar esse tipo de operação? Qual é a diferença para o reset de fábrica? Como preparar o dispositivo e também evitar que o próprio usuário tenha acesso a esse tipo de configuração?

Leia este post para descobrir as respostas para essas e outras perguntas. 

Entenda a diferença entre reset de fábrica e hard reset

Reset de fábrica

Um reset de fábrica remove todos os dados do usuário de um dispositivo e os reverte para as configurações padrão ou, para ser mais exato, retorna à forma como estavam quando o dispositivo foi comprado.

Dados como contatos, fotos, aplicativos, seu cache e tudo o mais que foi salvo no dispositivo desde que ele começou a ser usado serão apagados. O reset de fábrica pode ser realizado por meio de vários procedimentos, dependendo do dispositivo específico, ou pode estar disponível como um recurso do sistema operacional. 

O reset de fábrica não removerá o sistema operacional do dispositivo (iOS, Android ou Windows Phone), como também os aplicativos pré-instalados e os dados no cartão de armazenamento (como um cartão microSD). Mas voltará ao conjunto original de aplicativos e configurações. Além disso, redefini-lo não prejudica o telefone, mesmo se a operação for feita várias vezes.

Por que fazer o reset de fábrica?

No caso de dispositivos corporativos, o motivo mais comum é passá-lo para outra pessoa – caso o usuário anterior tenha saído da empresa ou recebido um aparelho novo, por exemplo. De qualquer forma, o ideal é que nenhuma informação, seja pessoal ou empresarial, permaneça no dispositivo.

Outros motivos incluem: se o telefone está travando constantemente, para restaurar as configurações para o padrão de fábrica ou remover arquivos difíceis de apagar.

Hard reset

Os sistemas operacionais dos dispositivos móveis corporativos recebem muitos dados, como também são atualizados constantemente. Isso significa que há diversos momentos em que eles podem passar por pequenas corrupções, que podem causar grandes problemas a longo prazo. 

Uma das consequências mais comuns está na lentidão sentida pelos usuários ou em apps que apresentam funcionamento com erros. O hard reset é muito útil nessa situação, como também quando há um erro do sistema operacional que não pode ser corrigido.

Quando é hora de fazer o hard reset?

Além de restaurar os elos do sistema operacional, o hard reset também eliminará rastros e dados desnecessários, que podem estar pesando no processamento e na memória do aparelho. Com tudo isso, o resultado será bem visível: o usuário terá um dispositivo com funcionamento mais fluido e suave.

O hard reset também é útil se o usuário tiver problemas com o telefone e a área técnica da sua empresa acreditar que o problema está relacionado a dados. Se você não conseguir localizar o problema corretamente, pode valer a pena fazer, mas apenas se ele não puder ser resolvido com a remoção de um aplicativo ou serviço.

O hard reset pode ser realizado de várias maneiras, dependendo do dispositivo eletrônico. Para alguns smartphones e tablets, ele pode ser feito acessando o menu de serviço do dispositivo. Outros dispositivos podem exigir uma reinstalação completa do software.

O que é preciso se atentar antes de realizar o hard reset ou reset de fábrica

Embora tanto o hard reset como o reset de fábrica sejam procedimentos dos próprios sistemas operacionais e, portanto, seguros, é importante ressaltar alguns cuidados necessários para evitar problemas após a restauração. 

Isto porque, a partir do Android 5.1, por exemplo, o Google inseriu o Factory Reset Protection, um sistema que visa coibir a restauração de dispositivos roubados ou perdidos a fim de que eles sejam utilizados por quem não é seu verdadeiro dono.

A princípio, o recurso é muito bem-vindo, já que, após uma restauração de sistema, ele exige que o usuário acesse a conta Google que estava cadastrada no smartphone – o que funciona como uma verificação de identidade. No entanto, caso o usuário legítimo do smartphone se esqueça do e-mail e senha que estavam cadastrados, pode acabar tendo dores de cabeça após realizar um hard reset.

Veja, abaixo, outras recomendações importantes antes de colocar em prática tanto o reset de fábrica quanto o hard reset:

  1. Faça backup de todas as informações. Essa medida é fundamental principalmente quando o dispositivo continuará com o mesmo usuário, já que  depois de redefini-lo, todas as informações serão apagadas e serão difíceis de serem recuperadas. Além disso, ter esses dados salvos ajuda, já que não será necessário perder tempo preenchendo novamente as informações.
  2. Se o dispositivo for Android, pode valer a pena criptografar os dados antes de limpá-los. Embora as versões mais recentes do Android tenham recursos de segurança que tornarão a recuperação dessas informações mais difícil, a criptografia adiciona uma camada extra de segurança que sempre será útil caso o dispositivo caia em mãos erradas.
  3. Para redefinir o smartphone e apagar todo o seu conteúdo, primeiro certifique-se de que o dispositivo móvel esteja conectado a uma fonte de alimentação. Também recomendamos que a bateria esteja com pelo menos 50% de carga quando você executa. Caso o dispositivo desligue durante a reinstalação do sistema, é possível que o firmware seja corrompido e você precise do auxílio de um computador, ou até mesmo da assistência técnica, para recuperá-lo.

Os perigos do próprio usuário realizar o reset de fábrica ou hard reset

Não é tão difícil realizar um reset de fábrica ou um hard reset. Na primeira opção basta acessar, no dispositivo móvel, as configurações do sistema do aparelho. Já dentro das opções as escolhas podem ser “Fazer back up e redefinir” ou mesmo “Restaurar dados de fábrica”, por exemplo. 

E se é simples, a tentação para o próprio usuário fazê-lo sozinho é bem grande. Você já havia pensado nessa possibilidade? Seja por engano, seja com a intenção de melhorar a performance do aparelho, o usuário pode não ter as qualificações técnicas necessárias, deixar de realizar os procedimentos de segurança corretos e danificar o aparelho, perdendo as informações corporativas estratégicas contidas nele.

Uma outra questão é que se o dispositivo foi furtado ou roubado, por exemplo, todas as informações ficarão expostas e à mercê dos criminosos, que podem utilizá-las das mais diversas maneiras. Sua empresa não pode correr o risco de assumir esses prejuízos, tanto financeiros como informacionais.

O ideal é contar com a ajuda da tecnologia, como a oferecida pela Navita. O Navita EMM é capaz de gerenciar todos os dispositivos móveis da sua empresa. A Plataforma completa de MDM (Gestão de Dispositivos Móveis) permite o controle dos aparelhos corporativos de forma simples e fácil. Garanta mais segurança e produtividade no ambiente empresarial, inclusive se adequando à LGPD

A partir da utilização de Navita EMM é possível, inclusive, bloquear o download de aplicativos e realização de operações como o hard reset ou reset de fábrica. Outras funcionalidades são a atualização de aplicações ou mesmo operações de configuração do sistema operacional remotamente.

Veja, abaixo, de que outras maneiras podemos ajudar. 

Gerenciamento de Aplicativos

O Navita EMM permite a criação de uma loja de aplicativos privada para a distribuição de aplicativos públicos e internos para os dispositivos móveis. Integrada   com o Google Play e a Apple Store, possibilita o uso correto das ferramentas de trabalho, com versões sempre seguras e atualizadas.

Os aplicativos enviados podem ser instalados silenciosamente, isto é, sem a interação do usuário, e marcados como obrigatórios, não permitindo sua desinstalação.

Todo o processo de distribuição passa a ser automático e, por meio do portal de gestão. Pode-se instalar, atualizar ou desinstalar um aplicativo, tornando possível, assim, fazer uma melhor gestão dos aplicativos usados para trabalho.  

Configurações e Políticas

A fim de melhorar a gestão e suporte, com o Navita EMM é possível automatizar a configuração de dispositivos, permitindo o envio de políticas e configurações de maneira remota. Além de reduzir o tempo gasto com suporte, a sua empresa passa a garantir que o dispositivo esteja de acordo com as regras de compliance.

Configurações como política de senha, WiFi e modo quiosque estão disponíveis para a melhor gestão e controle dos dispositivos móveis da empresa. 

Segurança da Informação

Com o Navita EMM, todos os equipamentos recebem configurações de acordo com as políticas corporativas de segurança da informação. Vale destacar, inclusive, que o sistema está pronto para apoiar a estratégia da empresa para o atendimento da LGPD (Lei Geral de Proteção dos Dados).

Dentre os controles possíveis, pode-se segmentar aplicativos em containers, monitorar as configurações de aplicativos e até mesmo controlar o navegador a ponto de garantir uma navegação segura na internet, integrando-o com o proxy da empresa ou declarando endereços (URLs) que poderão ou não ser visitadas.

Gostou do tema? Então não deixe de baixar o white paper:  ‘Gestão de dispositivos móveis: a importância de monitorar o tempo útil e ter o descarte correto’

Adicionar comentário