Navita e a Mobilidade Corporativa – uma trajetória de inovação

O telefone é considerado uma das 100 invenções mais importantes da humanidade, em uma lista onde figuram itens imprescindíveis como a roda, a lâmpada e a bússola. O Dia do Telefone foi definido em 10 março porque foi justamente nesse dia que Alexander Graham Bell fez seu primeiro registro de transmissão elétrica de voz, no ano de 1876.

O Brasil foi o segundo país a ter telefones instalados no mundo. Os primeiros telefones foram instalados no Rio de Janeiro por insistência de D. Pedro II que era muito interessado em novas tecnologias e amigo de Graham-Bell.  Em 1883 a cidade já contava  com cinco centrais telefônicas, cada uma com capacidade para mil linhas, e também funcionava a primeira linha interurbana, que ligava Rio à Petrópolis. Campinas, interior de São Paulo,  foi a terceira cidade do mundo a ter uma linha telefônica (logo após Chicago e o Rio de Janeiro).

A primeira empresa brasileira de telefonia foi a Brazilian Telephone Co., que depois de passar por diversos proprietários, foi incorporada, em junho de 1889, à Brasilianische Elektrizitäts Gesellschaft, com sede em Berlim, que ganhou uma concessão de 30 anos.

De 134 anos para cá, o salto em telefonia foi quântico. E o telefone passou de uma máquina enorme, pesada e presa à parede, ligada à milhares de fios, a uma tela levíssima que carregamos no bolso e que contém praticamente toda a nossa vida.

É instrumento de trabalho e move uma indústria crucial para economia mundial e da qual a Navita tem orgulho de fazer parte. Nossas conquistas em mobilidade e telecom também evoluíram com o tempo e nossa história se mistura com a própria história da mobilidade corporativa no Brasil.

A Navita nasceu em 1 de janeiro de 2003, no auge do crescimento da Internet  e, inicialmente, como provedora de Portais Corporativos e Intranet. Dividia-se entre duas localidades: fábrica de software em Florianópolis/SC e sede administrativa e comercial em São Paulo, abrigando, no total, 12 colaboradores.

Em 2005, a Mobilidade Corporativa já era uma realidade latente no país, e a necessidade de empresas que organizassem uma gestão na área tornara-se imprescindível. Decisões corporativas precisavam ser tomadas a partir de qualquer ponto. Vendas já eram realizadas por canais diversos. Executivos em viagens precisavam se manter conectados.

Em 2006, a Navita faz sua primeira grande parceria com grandes operadoras de telefonia móvel; integra o time de parceiros da RIM e passa a focar nesta plataforma para o desenvolvimento de soluções móveis. Ainda no mesmo ano, também  amplia sua unidade de negócios e inicia a produção de aplicativos móveis. O quadro de funcionários passa a ser de 30 colaboradores.

Em 2007, gerenciamento passa a ser a nova palavra de ordem. Conceitos como: segurança da informação,  monitoramento pró-ativo, provisionamento de aparelho passam a fazer parte do dia a dia da empresa. A Navita conquista seu primeiro cliente em gerenciamento de dispositivos corporativos e agrega o serviço ao portfólio.

Dois anos depois, em 2009, a  Invest Tech – fundo de capital de risco especializado em empresas de tecnologia – torna-se sócio investidor, levando a Navita a outro patamar em gestão de telefonia e mobilidade corporativa. Ainda no mesmo ano, um de nossos parceiros, a RIM lança a loja App World e a Navita lança o Navita Translator, aplicativo móvel que se tornaria ferramenta indispensável aos smartphones BlackBerry para milhões de pessoas em mais de 150 países,amarrando uma parceria também com a própria Blackberry: Navita torna-se responsável pelo suporte nível 3 para BlackBerry.

Com tamanho crescimento, o inevitável acontece: a operação cresce e a equipe de desenvolvimento de software é transferida 100% para a capital paulista. Novas oportunidades fazem com que a empresa desenvolva a unidade de negócios focada em Mobilidade Corporativa.

Em 2010, a Navita continua em ascensão: amplia alianças com todos os fabricantes de dispositivos móveis e passa a gerenciar dispositivos Android e iOS, desenvolvendo também apps móveis para esses sistemas operacionais. A Navita se torna apta a oferecer  Service Desk no Brasil: os serviços de Service Desk, com atendimento qualificado de 3º e 2º nível a usuários de celulares corporativos, passam a ser feito dentro da estrutura da Navita.

O ano de 2011 foi um período muito importante para Navita –  a empresa encerra o ano com faturamento de R$ 16 milhões e 100 colaboradores e conquista o Prêmio Inovação Futurecom 2011. Nesta curva ascendente a Navita ainda em 2011, compra a Congruus, empresa com foco em Serviços Gerenciados de Telecom e vende a área de portais, reafirmando o foco em serviços gerenciados.

Em 2012, expande sua operação e compra a área de gestão de custos de Telecom da Informatec, empresa especialista em tarifadores e redução de custos de telecom, fechando 2012 com 140 colaboradores. O crescimento de celulares no Brasil se destaca no ano de 2012, onde cada habitante chega a ter 1,3 linha, somando 256 milhões de linhas de telefonia celular ativas.

Em 2013, a Navita completa 10 anos de sucesso e é eleita um dos cinco brasileiros Cool Vendors’ na primeira pesquisa desenvolvida pela Gartner com foco no Brasil. A empresa é reconhecida pelos serviços de gerenciamento de dispositivos móveis. Ainda, durante o CIO Brasil 2013, a Navita recebeu o Prêmio Notabile, sendo reconhecida como Empresa Destaque em Tecnologia.

No ano seguinte, Navita é reconhecida como líder e mais inovadora MDM no Brasil, pela Frost Sullivan – empresa de focada em pesquisa. Também em 2014 recebe seus primeiros aportes: em seu primeiro acordo no Brasil, a Intel Capital, braço de investimento da fabricante Intel, compra uma participação na brasileira Navita, seguido do fundo DLM Invista, dos executivos da Totvs e da Datasul Paulo Caputo e Jorge Steffens. Os recursos serão usados majoritariamente para o desenvolvimento interno de novos produtos.

Em 2015, após estudo aprofundado da Frost-Sullivan, a Navita é eleita e recebe o prêmio – Competitive Strategy Innovation and Leadership Award – The Mobile Device Management (MDM) Service Provider Industry.

Também em 2015, a Navita reorienta sua estratégia de negócios e lança o NAVITA CONNECT, produto que concentra todas as soluções de mobilidade e telecom e uma única plataforma. Por intermédio da plataforma, os gestores das empresas conseguem ter visibilidade sobre todas as linhas, aparelhos, faturas, gastos departamentais, configurações de MDM (Mobile Device Management), tickets, contratos com operadoras, rateio de custos, entre outras informações.

Mas não paramos por aí. Em 2016, a Navita estabelece uma parceria global com a Telefonica e amplia sua atuação internacional. Paralelamente, a Navita amplia seu programa de Canais – investindo na parceria com empresas integradoras em todo o país.

Crescemos juntamente com a história da tecnologia e telefonia móvel no Brasil e no mundo, que deve crescer e evoluir ainda mais nos próximos anos. Temos orgulho de fazer parte do desenvolvimento desta trajetória de inovação.

Leia também:

Parceria Global com a Telefônica impulsiona expansão internacional da Navita

Mega Tendências em TI

Assista: Websérie Internet das Coisas (IoT)

Adicionar comentário