BYOD (Bring Your Own Device) e Redução de Custos: Mito ou Verdade?

Dados da Forrester Research, empresa americana de pesquisa de mercado em tecnologia, apontam uma tendência na utilização de dispositivos móveis pessoais no ambiente de trabalho, o famoso BYOD (Bring Your Own Device). Em 2015, as empresas investiram globalmente cerca de US$ 6,6 bilhões em gerenciamento de dispositivos móveis (MDM).

Ao adotar o uso do telefone pessoal, a companhia tem a oportunidade de reduzir os custos por não necessitar investir na aquisição ou locação de aparelhos, e os funcionários têm a simplicidade de usar um único dispositivo, gerando informações centralizadas.

Mas, como reduzir custos com um programa de BYOD?

Listamos abaixo algumas dicas importantes para que o uso de dispositivos pessoais no trabalho se torne uma estratégia interessante também do ponto de vista econômico.

#1 Implemente uma ferramenta de MDM

As ferramentas de MDM são imprescindíveis em um programa de BYOD, pois permitirá dividir o acesso ao dispositivo móvel em pessoal e corporativo, aplicando políticas corporativas sem impactar a usabilidade no ambiente pessoal.

#2 Contrate planos conforme perfil de uso

Conheça o perfil de uso de sua equipe ou centros de custo. Estabeleça planos e contratos, atendendo cada um dos perfis. A simples adequação de contratos pode contribuir para a redução significativa das despesas com telecom.

Atualmente algumas operadoras de telefonia móvel ofertam alguns planos em que a tarifa corporativa (mais barata que as de pessoa física) pode ser estendida para os colaboradores com a vantagem do envio de faturas individuais, gerando economia também para o colaborador.

#3 Envie a conta para o seu funcionário!

Quando os funcionários de sua empresa sabem que existem processos para checar e acompanhar os gastos realizados por eles, o consumo diminui imediatamente. Da mesma forma, se eles sabem que ninguém está acompanhando os gastos, o consumo aumenta.

Uma forma de minimizar isso é circular, mesmo que seja em papel, as contas para que sua equipe dê um “de acordo” nos gastos. Caso queira sofisticar, é possível extrair os dados da fatura eletrônica e enviar por e-mail para cada um ou, ainda, contratar um software para automatizar este processo.

#4 Crie uma política para o uso de aparelhos pessoais no trabalho

É importante implementar um programa que contemple segurança, políticas, processos e governança para que a economia gerada não se converta em prejuízo por vazamento de informações corporativas importantes.

Outros ganhos também podem ser obtidos com um bom programa de BYOD. Um deles é o aumento da produtividade da equipe, já que o uso de dispositivos móveis oferece os benefícios de conveniência e comodidade aos colaboradores e, como consequência, maior colaboração dos times.

Um programa de BYOD também possibilita que problemas com os aparelhos dos usuários sejam resolvidos rapidamente por um especialista.  Sem suporte, o colaborador poderia utilizar o horário de trabalho e levar muito mais tempo para tentar resolver por conta própria.

Estes ganhos em produtividade apesar de difícil mensuração também são aspectos importantes de rentabilidade para as empresas. Somente, em 2015, a Navita aumentou em 40% a produtividade dos seus clientes com a gestão de dispositivos móveis.

Adicionar comentário