C-Level: Conheça os principais cargos executivos e entenda o seu significado

Se você trabalha em uma empresa com certeza já deve ter ouvido falar desse tipo de nomenclatura:  CEO, CFO, COO, CIO, CTO, CMO, CLO etc. Esses nomes fazem parte do dia a dia de qualquer organização, porém, o que acontece é que nem todos sabem do que se trata ou acabam se perdendo diante de tantas siglas.

O que podemos dizer é que todos esses nomes têm algo em comum: São os cargos executivos de uma organização.

Se você trabalha em uma empresa de pequeno ou médio porte, talvez nunca tenha tido que lidar com algum desses profissionais, no máximo, conhece o gerente da sua área ou o dono da empresa. Mas quando falamos de empresas bem estruturadas, de médio ou grande porte, temos esse tipo de cargo, que chamamos de “cargos de alta gestão”.

Os executivos são os responsáveis por ditar e conduzir interna e externamente como essas grandes corporações vão atuar em seu mercado.

O fato destes profissionais lidarem diretamente com métricas e resultados requer uma capacidade analítica e preditiva. Então, os executivos precisam sempre estar em contato com números que demonstrem as atividades da operação e indiquem potenciais ofensores.

É nesse contexto que o Business Intelligence está cada vez mais sendo utilizado como diferencial competitivo, porém, é necessário que outras soluções ajudem na consolidação de todos esses dados.

O Navita Connect por exemplo, também funciona como um repositório de dados que demonstra de forma responsiva através de dashboards toda a gestão de ativos de TI e Telecom.

E por conta de todas essas obrigações, eles são os responsáveis pelo: Direcionamento da empresa, alocação de capital, construção de imagem (valores, comportamento e cultura), planejamento estratégico etc.

Portanto, é bom que você saiba o que cada um desses nomes significa, pois, mais cedo ou mais tarde, você pode ouvir falar em algum deles em uma reunião, ou até mesmo lidar diretamente com um desses profissionais.

O que é um cargo executivo?

Para começar a explicar cada um dos cargos, primeiro devemos saber o que é um executivo, o que ele faz, qual o seu papel dentro de uma empresa e quais são suas principais obrigações.

Um executivo, é um profissional que está atrelado a alta gestão de uma organização, tem o poder de intervir e influenciar diretamente nas decisões da empresa, ou seja, são eles os responsáveis pelo direcionamento da organização.

Esses profissionais são encarregados pela tomada de decisão, alocar recursos, dirigir atividades, tudo isso com o intuito de atingir determinados objetivos.

Na maioria das vezes, não existe apenas um executivo, temos uma comissão executiva, no qual cada um dos membros possui funções predeterminadas, de acordo com suas características profissionais.

O industrial francês Jules Henri Fayol, fundador da teoria clássica da administração e autor da obra: Administração Industrial e Geral (título original: Administration Industrielle et Générale – Prévoyance, Organisation, Commandement, Ccoordination, Contrôle), editado em 1916.

Dizia que os executivos realizavam cinco funções gerenciais: Planejar, organizar, comandar, coordenar e controlar. Hoje, com as mudanças na indústria e no mercado, fez com que essas tarefas fossem condensadas em apenas quatro funções: Planejar, organizar, liderar e controlar.

Se deve entender que toda organização precisa de um direcionamento, pois somente desta forma é possível crescer, os resultados aparecem quando os objetivos traçados são alcançados através das metas.

Para que tudo isso aconteça, é necessário ter planejamento, portanto, o papel principal da comissão executiva, é traçar objetivos e criar formas de alcançar essas metas, através de um conjunto abrangente de atividades e ações que devem ser realizadas interna ou externamente na organização.

Resumindo, eles são os responsáveis por conduzir pessoas, através de atividades e ações, criando o direcionamento necessário para que a organização alcance suas metas.

Por que os cargos executivos têm essa nomenclatura?

Por dois motivos: Convenção e Moda.

É uma tendência natural com a globalização que empresas do mundo todo se mobilizem para que determinados termos se tornem padronizados, por esse motivo, existe um movimento para nivelar o patamar hierárquico desses cargos, sendo assim, as responsabilidades serão semelhantes independente do lugar ou mercado de atuação dessas organizações.

Por outro lado, temos o modismo brasileiro em seguir tendências do exterior.

O que devemos saber, é que esse tipo de nomenclatura veio para ficar, o “C-Level” é uma forma de padronizar nomes e atribuições dentre os cargos executivos.

Principais C-Level (Cargos Executivos)

A partir deste momento, você já sabe o que é um executivo, qual o seu papel, suas obrigações dentro de uma organização e como surgiu a nomenclatura dos “C-Level”. Então vamos explicar o que representa cada sigla, seu significado e principais atribuições.

CEO (Chief Executive Officer)

O CEO ou Diretor executivo com certeza é o mais popular dentre todos os outros. Quem nunca ouviu falar por exemplo no antigo CEO da Apple, Steve Jobs ou até mesmo no atual, Tim Cook.

Dentre os executivos é o cargo com mais responsabilidades, ele está no topo da hierarquia dentro de uma organização. Geralmente são eles a “cara” da empresa, suas declarações têm grande impacto dentro e fora da organização, e em muitos casos até em seu nicho de mercado.

Quantas vezes você já não leu alguma notícia dizendo que o CEO de uma empresa, deu uma declaração ou fez um evento para lançar um determinado produto.

Ele é o responsável pelas estratégias e visão da empresa, além do seu lado criativo deve ser extremamente analítico, pois suas decisões têm grande impacto na organização.

Não são todas as empresas que possuem esse cargo, geralmente é utilizado em multinacionais de médio e grande porte, pois é necessário ter uma figura competente, visionária, com reconhecimento de mercado e habilidades de gestão para estar à frente da organização como um todo.

Principais atribuições:

  • Gestão de toda a organização, inclusive da comissão executiva;
  • Assegurar a operação da empresa de acordo com estratégias predefinidas;
  • Construção da imagem da corporação (Valores, comportamento e cultura);
  • Intermediar a comunicação entre os acionistas;
  • Criar um planejamento estratégico para o crescimento da organização;
  • Atrair e reter novos talentos;
  • É o principal responsável pela construção de novas parcerias de alto valor;
  • Tomada de decisões corporativas importantes;

CFO (Chief Financial Officer)

O CFO (Chief Financial Officer), em português Diretor Financeiro, é o responsável pelas atividades financeiras de uma empresa, faz parte de suas responsabilidades, gerir e comandar todo o planejamento financeiro de uma organização.

Assim como os demais cargos de nível estratégico, o CFO, não olha somente o cotidiano ou “período de fechamento” da empresa, ele deve entender a história por trás dos números e relatórios, analisar riscos, criar previsões futuras etc.

Por vezes acaba por ser um profissional de extrema confiança por parte do CEO, lidando com os custos, previsões e até investimentos da organização.

Principais atribuições

  • Fazer o planejamento financeiro da organização;
  • Monitorar o fluxo de caixa e orçamento empresarial;
  • Analisar e sugerir investimentos;
  • Administrar o capital de giro;
  • Definir os custos essenciais e prioritários da empresa;
  • Garantir a conformidade com tributos, leis, taxas, impostos e contribuições;
  • Analisar e avaliar novas estratégias financeiras e planejamento estratégico a longo prazo;

COO (Chief Operating Officer)

O COO (Chief Operating Office), em português Diretor de Operações é o responsável por cuidar do trabalho operacional da empresa, ou seja, é seu dever ficar de olho no dia a dia da organização.

Diferente dos outros cargos, no qual são designados papeis específicos para cada tipo de executivo, dependendo da estratégia da organização, os deveres e responsabilidades dos COO’s podem ser completamente diferentes, sendo considerados verdadeiros “camaleões”.

Em algumas empresas, é possível ver mais de um COO. Por exemplo, no setor industrial, existem casos que um diretor de operações fica responsável pelo desenvolvimento, design, operações e melhorias em produtos da empresa, enquanto o outro, em garantir que as operações comerciais sejam produtivas, fazendo desde a gestão de recursos até a distribuição dos produtos para os clientes.

Por lidar diretamente com o dia a dia da empresa, esse executivo pode ser o braço direito do CEO, sendo responsável por aplicar em nível operacional tudo que foi combinado na camada estratégica da empresa.

Muitas organizações modernas operam sem um COO, por exemplo, em 2007, de acordo com uma pesquisa feita pela fortune 500, mais de 58% das empresas listadas não tinham nenhum executivo com esse cargo.

Mas esse cenário tende a se reverter, visto que com a alta complexidade e crescimento da maioria das empresas, inviabiliza que uma única pessoa consiga fazer uma supervisão eficiente da organização como um todo.

Principais atribuições

  • Supervisionar as operações da empresa e o trabalho dos executivos;
  • Estabelecer políticas que promovam a cultura e a visão da empresa;
  • Cuidar do controle de qualidade dos serviços e produtos oferecidos pela empresa;
  • Garantir que o planejamento feito em nível estratégico seja posto em prática em nível operacional;
  • Avaliar o desempenho da organização analisando e interpretando dados e métricas;
  • Auxiliar o CEO em suas atividades e obrigações;
  • Participar de atividades de expansão (investimentos, aquisições, alianças corporativas etc.);
  • Gerenciar relacionamentos com parceiros / fornecedores;

CIO (Chief Information Officer)

Existem alguns cargos executivos relacionados a área de tecnologia, e o CIO (Chief Information Office) é um deles. O CIO pode ser o Gerente de TI, Superintende de TI ou Diretor responsável por toda a gestão de tecnologia de uma empresa.

A importância desse cargo tem aumentado, desde a mudança cultural e o quão relevante a tecnologia se tornou dentro das organizações.

Antigamente a tecnologia era vista apenas como uma forma de auxiliar processos internos ou áreas de uma organização, muitas vezes também sendo enxergado como algo custoso. Contudo, graças a transformação digital, o cenário hoje é diferente.

Agora, a tecnologia faz parte do ciclo de vida de uma empresa, se tornando parte fundamental para o dia a dia, planejamento e crescimento de qualquer corporação.

Esse profissional tem como responsabilidade fazer a administração dos recursos, estruturas, dados e pessoas da área de TI. Ou seja, ele deve fazer com que a empresa tire o máximo de proveito e otimize os seus recursos digitais, pensando em como a tecnologia tem um papel estratégico dentro da organização. Sendo assim, podemos dizer que o CIO utiliza a tecnologia para resolver os problemas de negócio.

Principais atribuições

  • Criar valor comercial através da tecnologia;
  • Fazer a supervisão de novos processos e produtos de TI;
  • Aprovar negociações e orçamentos de fornecedores de TI;
  • Gerenciar equipe de TI e desenvolvimento;
  • Garantir que os sistemas e procedimentos técnicos estejam alinhados e tragam resultados de acordo com os objetivos do negócio;
  • Administrar todos os recursos de TI da organização;
  • Estabelecer políticas, estratégias e padrões de TI;
  • Assegurar a Governança e conformidade de todos os sistemas.

CTO (Chief Technology Officer)

O CTO (Chief Technology Officer) também é um cargo executivo associado a tecnologia da informação. Assim como o CIO, ele pode ser o gerente, superintendente ou diretor da área de TI. Contudo, é possível diferenciá-los através de seus objetivos e atribuições.

Ao contrário de CIO, este executivo tem o objetivo de otimizar a operação interna através de ferramentas tecnológicas. Portanto, ele dirige a operação técnica dos sistemas e da infraestrutura de uma organização.

O CTO garante o pleno funcionamento de uma operação a nível de infraestrutura tecnológica.

Principais atribuições

  • Garantir o funcionamento dos sistemas;
  • Oferecer uma infraestrutura funcional;
  • Introduzir soluções técnicas viáveis;
  • Reduzir o impacto das possíveis falhas de infraestrutura na operação;
  • Aplicar inovações tecnológicas que impactem positivamente os resultados da operação;
  • Coordenar equipes de suporte.

CSO (Chief Security Officer)

Este é mais um da camada executiva que lida diretamente com tecnologia. O CSO (Chief Security Officer) também pode receber a nomenclatura de CISO (Chief Information Security Officer) em algumas estruturas.

Este profissional suporta, administra e mantém a segurança dos sistemas, dados e redes de uma empresa. Com a evolução das ameaças cibernéticas, os riscos e potenciais prejuízos ocasionados por ataques demandam muita atenção e dedicação por parte das organizações.

Neste cenário, o CSO garante que as estratégias e ações de um negócio não coloquem em risco a integridade das informações daquela empresa. Por isso, o profissional deve fornecer a visão realista do nível de segurança perante os riscos em cybersecurity para o board de executivos.

Portanto, é ele quem assume os momentos de crise e resposta a incidentes.

Principais atribuições

  • Identificar, desenvolver e implementar processos que reduzam os riscos de TI;
  • Prevenir ataques aos sistemas;
  • Responder a incidentes;
  • Zelar pela governança de TI;
  • Implementar políticas de segurança;
  • Analisar o nível de segurança dos parceiros ou fornecedores para suportar a área de negócio.

CMO (Chief Marketing Officer)

O CMO (Chief Marketing Office), em português Diretor de Marketing, é o executivo responsável por coordenar e administrar todas as operações de Marketing e publicidade da companhia.

Ele tem a missão de elaborar o planejamento estratégico e mercadológico da empresa visando ampliar a área de atuação da companhia, se relacionando diretamente com o desenvolvimento de produtos, atendimento ao cliente, branding, gerenciamento de vendas etc.

Entre suas responsabilidades estão: Conduzir projetos de lançamento e relançamento de produtos, desenvolver o planejamento de marketing, acompanhar as vendas, estabelecer previsões, criar planos de ação, acompanhar a evolução do mercado, identificar novas oportunidades de negócios, avaliar estratégias de comunicação etc.

Principais atribuições

  • Habilidades criativas e analíticas;
  • Capacidade de comunicação, habilidades interpessoais e liderança de equipe;
  • Profundos conhecimentos nos princípios de marketing;
  • Conhecimento em gerenciamento de marca, produto e serviço;
  • Estar familiarizado e conhecer a fundo estratégias de Marketing Digital e Growth Hacking;
  • Ter agilidade para se adaptar as mudanças do mercado;
  • Gerenciar o orçamento de eventos e campanhas;

CHRO (Chief Human Resources Officer)

O CHRO (Chief Human Resources Officer), em português Diretor de Recursos Humanos, é o executivo responsável pelo setor de RH dentro das organizações. Os CHRO podem ter as seguintes responsabilidades: Ser o estrategista pela força de trabalho, conduzir o desempenho das equipes, ser o regulador da conformidade e governança trabalhista, treinar e capacitar equipes de liderança sênior e conselho administrativo.

Muito além do que apenas monitorar as folhas de pagamento, esse profissional é responsável por gerir e descobrir novos talentos, buscando desenvolver esses colaboradores para trazer os melhores resultados dentro das organizações.

O papel do CHRO evoluiu rapidamente nos últimos anos, atendendo às necessidades de capital humano nas organizações que operam em vários ambientes regulatórios trabalhistas.

Eles são os responsáveis por ajudar as empresas no enfrentamento de problemas com forças de trabalho associados à expansão para mercados emergentes, desenvolvendo políticas trabalhistas para se adequar as diferentes regiões do mundo, criando e preservando a diretriz na cultura da empresa.

Principais atribuições

  • Delegar funções e monitorar os funcionários;
  • Zelar pelas políticas da empresa no cumprimento de suas melhores práticas;
  • Gerir o orçamento do seu departamento;
  • Avaliar o desenvolvimento dos colaboradores;
  • Fazer a gestão de carreiras, cargos e salários;
  • Implantar programas de administração de salários e benefícios, treinamento e desenvolvimento.

CLO (Chief Legal Officer)

O (Chief Legal Officer), em português Diretor Jurídico é o profissional responsável por definir as obrigações legais, fiscais e tributárias de uma organização. É sua função manter a empresa em compliance e garantir que as estratégias da organização atendam todas as questões jurídicas.

Essa função inclui a prestação de assessoria jurídica a todo o conselho administrativo e demais executivos. Os CLOs devem ter forte iniciativa, bem como excelentes habilidades de gerenciamento, liderança e forte perspicácia nos negócios.

Principais atribuições

  • Desenvolvimento e liderança de estratégia jurídica corporativa para promover e proteger os interesses da empresa;
  • Programas de auditoria interna e conformidade corporativa;
  • Supervisionar a prestação de serviços e recursos jurídicos para atingir metas, estratégias e prioridades da organização;
  • Aconselhar o CEO e outros diretores corporativos em questões jurídicas;
  • Gerenciar equipe de advogados corporativos e outros membros do departamento jurídico;

Conclusão

Agora você já conhece quais são os principais cargos executivos e suas atribuições, com certeza, não será mais pego de surpresa em uma reunião ou caso alguém da sua empresa diga uma dessas siglas.

Você também descobriu que é um movimento global a padronização desses nomes, por esse motivo os executivos atualmente são classificados e conhecidos como “C-Level”.

Se deseja continuar aprendendo mais sobre o mundo corporativo, últimas notícias de mobilidade e as principais tendências sobre tecnologia, não deixe de ler nossos artigos.

Continue lendo:

Adicionar comentário