Redes sociais em aparelhos corporativos: saiba tudo sobre o assunto

Facebook, Instagram, Twitter — são muitas as mídias digitais populares hoje em dia e é raro encontrarmos alguém que não esteja presente em pelo menos uma delas. Mas qual o impacto que elas trazem para as empresas? Será que é possível permitir o uso de redes sociais em aparelhos corporativos?

Essa é uma dúvida de muitos gestores de TI, sobretudo em organizações que adotam o esquema BYOD (Bring You1419r Own Device). Isso porque, nesse caso, os colaboradores utilizam seus próprios equipamentos para as atividades de trabalho.

Para que você saiba tudo sobre o uso de redes sociais em aparelhos corporativos, bem sobre como monitorar seu uso, elaboramos este post. Acompanhe os tópicos a seguir e fique bem informado!

Importância do controle do uso de redes sociais em aparelhos corporativos para a segurança do negócio

O controle do uso de redes sociais em aparelhos corporativos é importante por diversos fatores. O primeiro deles é que o uso em exagero dessas mídias no horário de trabalho pode comprometer o desempenho dos funcionários em suas atividades.

Outra razão é que, se o equipamento estiver utilizando a rede da empresa, pode ocorrer o roubo, a perda e o vazamento de dados e informações. Além disso, com o uso da rede corporativa para acesso a conteúdos particulares, os colaboradores poderão estar comprometendo o desempenho dos computadores e o desempenho da internet da organização.

Um ponto relevante e que também justifica o controle do uso de redes sociais nos dispositivos da organização é que a empresa é corresponsável pelo que os colaboradores fazem em suas dependências. Desse modo, se um funcionário ofender alguém ou compartilhar discurso de ódio no Facebook, por exemplo, a empresa também poderá ser responsabilizada por tais ações.

Entenda como monitorar aparelhos corporativos

Para monitorar os aparelhos corporativos, a opção mais adequada é um software para gestão de Telecom. Atualmente, existem no mercado soluções como o MDM, oferecido pela Navita.

Esse produto faz uma análise de produtividade, por meio da qual é possível monitorar o uso e os movimentos do usuário em determinados aplicativos, bem como o tempo gasto em cada uma das interações. Assim, é possível que o gestor saiba, ao final do mês, quanto tempo o colaborador utilizou o Instagram no período, por exemplo.

Com esse tipo de informações em mãos, os gestores podem alinhar as expectativas com os colaboradores e repassar instruções para o uso adequado das mídias sociais em ambiente de trabalho.

O monitoramento também pode ser feito por meio de restrições parciais ao uso das redes sociais. Exemplo disso é o Facebook Work Space, que tem a mesma configuração da versão tradicional do Facebook, porém é restrito para uso em grupos de trabalho.

Assim, o espaço pode ser utilizado para troca de informações entre os setores, divulgação de comunicados e até mesmo o compartilhamento de informações relevantes, como artigos e notícias referentes ao setor de atuação da empresa.

A ideia é que, com o uso de um software de gestão, as empresas possam maneirar o uso de redes sociais em aparelhos corporativos. Além disso, elas podem reconfigurar esse uso para que as mídias sejam aliadas, ou seja, transformadas em ferramentas de trabalho dentro da própria empresa, para ampliar a eficiência da comunicação interna, por exemplo.

5 razões para contratar uma gestão de Telecom para controlar o uso de redes sociais em aparelhos corporativos

Para que você entenda a relevância de contratar uma gestão de Telecom para controlar o uso de redes sociais em aparelhos corporativos, listamos uma série de vantagens. Confira:

1. Controle apenas de informações corporativas no BYOD

Em casos em que as empresas praticam o BYOD, por segurança e por compliance, a empresa pode optar por instalar nos equipamentos um aplicativo que permite o controle somente das informações corporativas.

Assim, a organização só conseguirá ter acesso e desinstalar automaticamente os apps voltados ao trabalho. Se o colaborador usa um código da empresa para corridas de Uber, por exemplo, a organização não precisa impedir que o colaborador utilize esse app para fins pessoais: basta desvincular as informações corporativas para que ele não utilize o código no horário de folga.

2. Tranquilidade para os colaboradores

É possível fazer uma separação completa dos recursos pessoais em relação aos de trabalho nos equipamentos dos colaboradores. Assim, eles poderão enviar mensagens, utilizar as suas redes sociais, entrar em aplicativos de namoro etc.

Ninguém da empresa terá acesso às informações pessoais e íntimas de cada pessoa. Você poderá passar essa tranquilidade aos funcionários.

3. Monitoramento da comunicação corporativa

No caso do uso de redes sociais corporativas, como o Slack ou o Skype for Business, ao contrário do que acontece com as mídias pessoais, é possível monitorar as comunicações.

Assim, caso haja uma suspeita — como em um caso de abuso de chefias, por exemplo —, é possível auditar as conversas tidas por meio desses canais.

4. Proteção a condutas criminosas

Como já explicamos, as empresas têm corresponsabilidade sobre o que o funcionário publica nas redes sociais em seu horário de trabalho. Assim, se algum colaborador disseminar discursos com racismo, homofobia, pedofilia, entre outros crimes, o equipamento pode ser apreendido como evidência pela polícia.

Por isso, ao restringir o uso de redes sociais em horários de trabalho, a empresa evita se tornar cúmplice em práticas criminosas.

5. Disponibilidade para saber volume de dados em aplicativos

As empresas podem utilizar dessa solução para ler o tempo de utilização dos aplicativos. Desse modo, podem ser gerados relatórios com a quantidade de tempo e de gastos em qualquer app em específico.

Isso é importante para que se tenha um real controle sobre a influência das redes na produtividade dos colaboradores. De nada adianta bloquear o Facebook no desktop se o funcionário pode fazer o acesso pelo celular, por exemplo.

De maneira resumida, podemos dizer que é muito importante que as empresas façam o controle do uso de redes sociais em aparelhos corporativos, pois, assim, elas estarão garantido a produtividade dos funcionários, bem como se protegendo juridicamente.

A Navita tem a solução ideal para que você faça esse controle, o MDM. Entre em contato conosco e solicite mais informações sobre o software!

19 de novembro de 20180

Adicionar comentário