SaaS: tudo o que você precisa saber sobre Software as a Service

SaaS, em inglês software as a service ou software como serviço, é um modelo de entrega e distribuição de software, em que o programa é disponibilizado através da Internet, ou seja, como um serviço. Dessa forma, os usuários não precisam baixar o software para executá-lo localmente em seus PCs; eles podem simplesmente acessá-lo por meio de um navegador da web.

Isso abre um mundo de possibilidades para as empresas aumentarem e acelerar seu tempo de entrada no mercado. Portanto, não é surpreendente que o SaaS tenha se popularizado mais rápido que os vídeos de gatos no Youtube.

Nas últimas projeções do Gartner sobre a receita do serviço de nuvem pública, o SaaS continua a representar o maior mercado de nuvem, com expectativa de atingir US$143,7 bilhões em 2022.

E o motivo é simples: SaaS é uma opção econômica e prática para todos os tipos de negócios, especialmente em uma era em que as necessidades digitais e as expectativas dos clientes mudam a todo instante e a entrega a partir da nuvem permite agilidade para responder rapidamente.

Como resposta a isto, atualmente mais 38% das empresas trabalham quase inteiramente em SaaS.

O SaaS oferece uma oportunidade de negócios incrível. A adoção do modelo de software como serviço continua crescendo rapidamente. No entanto, com alta demanda e competição, é preciso entender qual é a dinâmica do mercado e o que deve ser feito para se destacar, fornecendo soluções exclusivas e imenso valor para os usuários.

À medida que você continua a explorar o SaaS e faz sua introdução nesta indústria multibilionária, lembre-se de manter essas metas no centro de sua oferta.

No entanto, embora SaaS seja muito popular, ainda existem preocupações, riscos e equívocos. Principalmente porque esse tipo de serviço em nuvem implica em contar com uma fonte externa para armazenamento de dados e as funções e recursos disponíveis fornecidos pela solução.

Neste artigo, você entenderá os benefícios e riscos das soluções SaaS, mas também vamos discutir opções para aproveitar ao máximo todas as vantagens desse modelo de software sob serviço.

Antes de entrar em detalhes, ainda existe muita confusão na indústria sobre os diferentes modelos de serviço em nuvem. Eles podem ser plataforma como serviço, software como serviço e infraestrutura como serviço. Portanto, para garantir que estamos todos na mesma página, vamos primeiro passear pela nuvem.

O que é Software as a Service (SaaS)?

Software como serviço (SaaS) é um modelo de entrega de software licenciado por assinatura e hospedado centralmente.

O fornecedor fornece uma única cópia projetada especificamente para distribuição SaaS, na maioria das vezes em uma arquitetura multi tenant, para todos os clientes. Dessa forma, o código-fonte é o mesmo para todos os usuários finais e, quando novos recursos são adicionados, eles ficam automaticamente disponíveis para todos os clientes.

Exemplos de SaaS são Sales Force, Pipedrive, RD Station, ContaAzul etc.

Tudo isto é muito diferente de infraestrutura como serviço (IaaS) ou plataforma como serviço (PaaS).

IaaS é pré-pago para serviços como servidores, armazenamento, rede e sistemas operacionais. Dependendo de qual modelo de contratação foi escolhido, podem existir diferentes modelos de cobrança, por exemplo, pelos servidores utilizados, pela quantidade de dados de armazenamento ou até mesmo pelos dados trafegados.

PaaS, como o nome revela, é um provedor de plataforma que fornece as ferramentas para criar, modificar e gerenciar softwares ou aplicações. O time de devs da sua empresa tem uma infraestrutura completa à disposição.

Para simplificar, podemos colocar da seguinte forma:

  • SaaS é destinado aos usuários finais;
  • PaaS é destinada aos desenvolvedores de software;
  • IaaS é destinada aos administradores de TI.

Todos eles são camadas da adaptação do mercado aos serviços em nuvem, mas não devem ser confundidos.

Quais são os benefícios do SaaS?

O maior benefício de usar softwares SaaS é que você não precisa instalar e executar aplicativos em seus dispositivos, como faz com soluções locais.

Dessa forma, você pode cortar custos iniciais relacionados à aquisição e manutenção de hardware.

Além disso, o provedor de SaaS gerencia tudo relacionado à segurança, disponibilidade e desempenho, ajudando assim a reduzir os custos associados ao licenciamento, instalação e suporte de software.

Aqui estão mais algumas vantagens do SaaS:

Flexibilidade de pagamento

O SaaS é um modelo de assinatura com pagamento conforme o uso. Os clientes podem gerenciar melhor seus orçamentos porque podem escolher o melhor licenciamento que se adapta às suas necessidades e fazer os pagamentos de acordo.

Os modelos SaaS também oferecem a flexibilidade de rescindir o contrato a qualquer momento, eliminando os custos recorrentes.

Escalabilidade

Os clientes sempre podem revisitar seu modelo de licenciamento e acessar mais ou menos serviços, dependendo de suas necessidades de negócios naquele momento.

Upgrades mais simples

Com SaaS, os departamentos de TI não precisam se preocupar com upgrades dolorosos. O provedor cuida disso para eles. Os usuários sempre têm acesso à versão mais recente do serviço.

Quando o SaaS é fornecido a partir de uma arquitetura multi tenant, o provedor de software também se beneficia, porque novas atualizações e upgrades estão automaticamente disponíveis para todos os usuários em todas as empresas que o assinam.

Acessibilidade

Os clientes podem acessar o SaaS em qualquer lugar e a qualquer momento, desde que tenham uma conexão com a Internet e um navegador da web.

Personalização fácil

Apesar da arquitetura multi tenant, a maioria dos aplicativos SaaS pode ser facilmente personalizada para atender às necessidades de negócios de cada cliente. Essas personalizações não afetam a infraestrutura comum e são sempre preservadas quando uma atualização é realizada.

O que é uma empresa SaaS?

Uma empresa SaaS é um tipo de negócio que se concentra na criação, desenvolvimento, hospedagem e manutenção de um produto ou produtos de Software como um Serviço proprietário.

Os principais benefícios de administrar uma empresa de SaaS incluem acesso instantâneo a um mercado global irrestrito e a capacidade de escalar sem ter que aumentar o custo de entrega do produto proporcionalmente.

Uma empresa SaaS típica desenvolve e mantém seu produto. Grande parte de suas operações, no entanto, também gira em torno de vendas, marketing e Customer Success.

Quais são os tipos de produtos SaaS?

Os aplicativos SaaS vêm em diferentes tamanhos, formas e servem a vários propósitos. A maioria, no entanto, se enquadra em uma das três categorias:

Packaged SaaS, ou “SaaS empacotado”

São produtos que ajudam a gerenciar um processo específico em uma organização, melhorando a gestão de custos, fortalecendo as relações com os clientes ou aumentando a eficácia do marketing, por exemplo.

O Navita Connect é um exemplo de Packeged SaaS. Oferecemos ferramentas para que as empresas melhorem a gestão de seus custos e o gerenciamento de seus dispositivos móveis.

Collaborative SaaS, ou apps de SaaS colaborativo

Os aplicativos SaaS colaborativos ajudam a melhorar a forma como as equipes trabalham juntas. De mensagens, videoconferências à colaboração em documentos, essas plataformas oferecem suporte a esforços colaborativos.

Zoom, Paper e Basecamp são alguns exemplos.

Technical SaaS

Os aplicativos Technical SaaS oferecem ferramentas para gerenciar ou melhorar o desenvolvimento ou os processos técnicos.

O Cloudsponge, por exemplo, permite que os desenvolvedores incluam um importador de contato em seus produtos sem esforço. O Algolia oferece uma API de pesquisa que ajuda outros aplicativos a melhorar a própria experiência de pesquisa.

Classificação por valor entregue

O investidor de risco Tomasz Tunguz categoriza os produtos SaaS também pelo valor que eles entregam.

Para ele, alguns aplicativos auxiliam no aumento da receita de uma empresa. Um bom exemplo são aplicações que ajudam as empresas a comercializar, vender e atender clientes e clientes em potencial de maneira mais eficaz. Isso, por sua vez, leva a um maior crescimento e receita.

Outros aplicativos reduzem custos. O Navita Connect, por exemplo, elimina a necessidade do uso de produtos adicionais e abre a possibilidade da redução de custos já existentes.

O terceiro grupo, software de produtividade, fica em algum lugar entre os dois. Esses produtos também ajudam a aumentar a receita os reduzir custos. No entanto, seu efeito é menos óbvio.

Por exemplo, Zoom.us permite que as empresas realizem reuniões pela Internet. Embora o uso do produto provavelmente reduza os custos e possa fornecer uma plataforma para novas ideias de geração de receita, esse resultado não é tão evidente como no caso dos produtos das outras duas categorias.

Como as marcas SaaS atraem usuários através de vendas e marketing?

Para que uma empresa SaaS decole, ela precisa encontrar, atrair e convencer novas pessoas a experimentar seu produto.

Além disso, precisa ser rápido.

De acordo com um relatório da McKinsey, as empresas de SaaS devem atingir taxas de crescimento anual superiores a 20% se quiserem sobreviver.

Essa velocidade de crescimento dificilmente é uma tarefa pequena quando você considera o quanto o marketing de SaaS difere de outros setores.

Agora, vamos entender o porquê.

No SaaS, você promove um produto sem nada tangível para mostrar. Seus clientes potenciais não podem segurá-lo em suas mãos. Como resultado, seus esforços de marketing devem convencê-los de que seu produto funciona e pode resolver seus problemas.

Os usuários decidem se querem experimentar um produto SaaS em um piscar de olhos. Frequentemente, eles fazem uma rápida pesquisa online, comparam algumas soluções e fazem sua seleção. Tudo isso pode levar não mais do que algumas horas.

Seu marketing, portanto, deve direcionar todas as etapas da jornada do comprador e oferecer informações relevantes que possam convencer alguém a testar seu produto.

Muitos consumidores, no entanto, se esforçam pouco para descobrir a nova ferramenta. Muitos novos usuários fazem login em um aplicativo uma vez, para nunca mais voltar a ele. A maioria não percebe o valor total do aplicativo antes de passar para outra solução.

Seus esforços promocionais também devem ajudar os clientes a perceberem seu ponto de ativação – o verdadeiro valor que seu produto oferece.

Além disso, você deve levar em conta ter diferentes modelos de vendas. Comprar um produto self service SaaS, onde os clientes assinam sozinhos, dificilmente leva tempo.

Em uma abordagem orientada a vendas, o cliente passa pela maior parte do processo sozinho. No entanto, no último estágio, eles normalmente se envolvem com uma equipe de vendas que ajuda a orientar e recomendar o melhor plano. Esse processo pode naturalmente demorar mais e pode exigir recursos adicionais.

Finalmente, o ciclo empresarial pode facilmente levar meses, se não mais, antes que um contrato seja assinado.

Quais são os modelos de precificação dos produtos SaaS?

Antes de atrair visitantes, uma nova empresa de SaaS deve decidir como vai cobrar por seu produto. Isto é importante por duas razões:

Um modelo de preços afetará a disposição de um usuário potencial de considerar sua solução.

E pode afetar a taxa de crescimento de uma empresa. Conforme relatado pela PwC, leva dois anos para uma empresa SaaS típica atingir o equilíbrio.

Então, vamos revisar vários modelos de preços que você pode usar em seu produto.

Freemium

O modelo freemium oferece um número significativo de recursos gratuitamente, junto com pacotes adicionais pagos.

Slack, Dropbox ou Airstory são exemplos de produtos SaaS baseados em freemium. A maioria dos usuários pode usá-los gratuitamente. Mas quando eles precisam de mais do que o conjunto de recursos básicos, eles devem atualizar para um pacote premium.

Flat-rate pricing, ou preço de taxa fixa

Nesse modelo de precificação, uma empresa oferece um único produto com um conjunto de recursos padrão por uma taxa fixa.

É o caso de uma empresa que cobra uma taxa fixa de US$99,00 por mês, pela qual uma pessoa pode usar todos os seus recursos.

Preços em camadas

De longe, a prática de preços mais comum entre as marcas de SaaS é oferecer vários pacotes.

Cada pacote inclui um conjunto de recursos diferente, projetado para atender às várias necessidades do usuário.

Preço por usuário

Algumas empresas de SaaS oferecem uma opção diferente dependendo do número de usuários. Em vez de pagar uma taxa fixa ou escolher um conjunto de recursos, eles podem pagar por usuário. A Asana, por exemplo, cobra das empresas uma taxa fixa para cada pessoa que inscrever no aplicativo.

Preços com base no uso, ou “pay as you go”

Finalmente, alguns produtos cobram pelo uso, ao invés de conjuntos de recursos ou usuários. As empresas que usam o Stripe, por exemplo, pagam por cada transação processada.

O SaaS tem desvantagens para o cliente?

Se o software as a service é tão bom, por que o mundo inteiro não opta somente pelo SaaS? O motivo é simples: embora seus benefícios sejam muito atraentes, ainda existem preocupações quanto ao modelo.

Segurança no universo Software as a Service

Esta é a principal preocupação das empresas quando consideram um aplicativo SaaS. Ao adotar esse tipo de solução, você está confiando dados de negócios a um provedor de serviços terceirizado.

Se você estiver lidando com informações confidenciais, deve ser especialmente cauteloso com o gerenciamento de identidade e acesso. Quando você adota uma solução em nuvem, vazamentos de dados, ataques de hackers e outros incidentes são sempre um risco.

Mesmo assim, a maioria dos modelos SaaS é conhecida por sua segurança de nível empresarial, que é uma abordagem mais holística da segurança do que muitas soluções centralizadas no local.

No Cloud SaaS, protocolos de recuperação de desastres pré-existentes estão em vigor para gerenciar possíveis falhas do sistema. Isso significa que os dados da sua empresa estão disponíveis e protegidos, independentemente de uma violação de dados ou falha do sistema.

Risco de rescisão do serviço

Se, por algum motivo, o prestador tiver que cessar o serviço, o cliente não poderá continuar a utilizá-lo e perderá todos os dados partilhados com o prestador.

A boa notícia é, normalmente, se o serviço for descontinuado por motivo de falência da empresa, por exemplo, o fornecedor tem a obrigação de informar que todos os usuários da plataforma devem recuperar seus dados antes de encerrar suas atividades.

Necessidade de uma boa conexão à internet

Se o acesso por meio de um navegador da web é o que torna o SaaS tão acessível, uma conexão ruim à Internet pode limitar seu uso.

Por exemplo, uma conexão lenta com a Internet pode tornar uma tarefa simples, em complicada ou até mesmo fazer com que o aplicativo fique inacessível.

Isso é particularmente verdadeiro com os trabalhadores de campo. Esse problema limita o uso ideal de SaaS e, em última análise, pode causar danos financeiros.

Limitação de recursos

Embora o SaaS geralmente forneça alguma largura de banda de personalização, ainda é limitado.

Ao assinar um aplicativo hospedado, você fica restrito aos recursos e funcionalidades que a solução oferece, o que pode não cobrir todas as suas necessidades de negócios e casos de uso.

Já existem alternativas ao SaaS?

Sim, mas temos que levar em consideração as mudanças que o SaaS trouxe ao mundo corporativo e de softwares, mesmo que existam alguns pequenos contratempos nesse tipo de tecnologia.

O SaaS democratizou o acesso a recursos e fluxos de trabalho, ao mesmo tempo em que tinha um nível mais alto de segurança e disponibilidade de serviço, e antes estava disponível apenas para empresas da Fortune 100.

Mas, conforme a tecnologia continua a evoluir, novas alternativas para aplicativos SaaS têm ganhado força na indústria de software. Ou seja, plataformas que suportam o desenvolvimento rápido de aplicativos.

Uma das alternativas mais populares são as plataformas de desenvolvimento Low Code e No Code. Na verdade, apenas este ano, o Gartner lançou o Magic Quadrant para plataformas de aplicativos empresariais de Low Code, descrevendo o mercado da seguinte forma:

“Os fornecedores de LCAP representam a vanguarda do movimento para democratizar o desenvolvimento de aplicativos, substituindo cada vez mais o desenvolvimento de aplicativos de negócios padrão em Java ou .NET e fornecendo alternativas diferenciadas para aplicativos comerciais prontos para uso ou SaaS.”

Plataformas de Low Code e No Code permitem que empresas de qualquer tamanho projetem, construam, personalizem e implantem rapidamente aplicativos de negócios com pouco (Low Code) ou nenhum código (No Code).

Usando uma interface de usuário de arrastar e soltar (IUs), criadores de formulários e modelagem de processo visual, as organizações podem acelerar o desenvolvimento de software 100% personalizado de meses e até anos a semanas e impulsionar a inovação.

O poder do Low Code é que ele permite que você crie qualquer aplicativo móvel ou web do zero, sem limites, ou crie aplicativos que se integram a um SaaS existente e o complementam com a funcionalidade de que você precisa.

Qual é o ciclo de vida do cliente SaaS?

O ciclo de vida do cliente SaaS pode ser dividido em três estágios – aquisição, engajamento e retenção de seus clientes.

Os produtos SaaS são diferentes dos outros porque não é suficiente fazer um cliente comprar uma vez; você precisa que ele se envolva com seu produto repetidamente para ver o valor, de modo que continuem comprando de você todos os meses ou todos os anos.

É um desafio provar valor continuamente, mas também faz parte do que torna o SaaS uma indústria tão lucrativa: 51% das organizações executam a maioria de suas operações usando aplicativos SaaS e 38% das empresas trabalhe inteiramente em produtos SaaS – muitos desafios, mas também muitas oportunidades.

O que é o ciclo de vida do cliente?

O ciclo de vida do cliente se refere ao processo pelo qual as pessoas passam para aprender, interagir e comprar de uma empresa. Seus estágios se enquadram nos processos de atração, engajamento e satisfação dos clientes, e as etapas específicas envolvem conscientização, conversão, compra, ativação, renovação e encaminhamento.

#1 Conscientização

Durante esse primeiro estágio, seus clientes percebem que têm um problema que precisa ser resolvido e ficam cientes de sua solução ou de sua marca fazendo pesquisas online e encontrando seus recursos gratuitos, como postagens em blogs, podcasts ou nas redes sociais.

#2 Conversão

No estágio de conversão, seus clientes aprenderam sobre sua solução e se inscreveram para obter recursos gratuitos para saber mais: como um e-book, um webinar, uma avaliação gratuita ou uma versão gratuita de seu produto.

Nesse estágio, o desenvolvimento de leads com ofertas direcionadas relevantes às suas necessidades os ajudará a ficar mais perto de comprar de você.

Aqui, é importante que você demonstre valor rapidamente, ajudando o cliente a atingir marcos importantes com seu produto. Forneça recursos educacionais e de integração úteis para facilitar a adoção de seu produto.

#3 Compra

Se sua equipe de vendas fez seu trabalho e fechou com sucesso um novo cliente pagante, agora é importante continuar provando e demonstrando valor. Forneça integração dedicada, gerenciamento proativo do sucesso do cliente e peça (e responda) aos comentários dos clientes.

#4 Ativação

O objetivo não é apenas fazer com que um cliente compre seu produto: você deseja que ele também se torne um usuário ativo semanal ou diariamente.

Como a maioria dos produtos SaaS são vendidos em uma base de assinatura mensal, é fácil para os clientes cancelar e mudar para um concorrente se não estiverem satisfeitos ou não perceberem a utilidade do seu produto.

Certifique-se de fornecer divulgação, educação e recursos para evitar bloqueios de estradas comuns que levam os clientes a se desligarem.

#5 Renovação

Depois de meses ou mesmo um ano usando seu produto com sucesso, seu cliente precisa renovar para continuar usando.

Antes disso, é importante manter uma comunicação próxima com seu cliente para ter certeza de que você sabe se há alguma objeção possível que possa fazer com que os clientes não renovem.

Certifique-se de que seus clientes estejam familiarizados com os benefícios de ser membro de seu programa de fidelidade para que possam ser recompensados ​​por serem clientes.

#6 Referência

Nesta altura, seus clientes não apenas renovaram a assinatura e ingressaram no programa de fidelidade do cliente, mas também estão tão satisfeitos que são usuários avançados que contam a seus amigos e colegas sobre seu produto.

Por meio do marketing boca a boca, escrevendo avaliações de clientes, servindo como depoimentos e estudos de caso e tornando-se afiliados, seus clientes mais felizes se tornam o melhor representante de vendas do seu produto SaaS.

Quais tendências estão emergindo no mercado de SaaS?

Quer as pessoas percebam ou não, a indústria de SaaS existe há mais de uma década.

À medida que mais e mais líderes de empresas se tornam cientes da computação em nuvem e das vantagens que a infraestrutura hospedada oferece, as soluções SaaS se tornam mais populares.

O mercado cresceu consideravelmente nos últimos anos e espera-se que cresça à medida que mais pessoas no mundo corporativo se conscientizam da variedade de benefícios que o SaaS oferece.

O SaaS frequentemente tem se concentrado fortemente no sucesso do cliente, o que é provavelmente uma das razões pelas quais ele evolui em um ritmo tão rápido a cada ano.

Conforme a tecnologia muda e as expectativas do cliente mudam, o mesmo ocorre com a indústria de SaaS.

Aqui estão algumas tendências emergentes interessantes na indústria de SaaS.

SaaS mobile first

Anteriormente, as empresas de SaaS voltadas para dispositivos móveis eram facilmente bem-sucedidas em áreas como aplicativos de produtividade ou aplicativos específicos do setor e era relativamente difícil para essas empresas obterem sucesso em áreas mais amplas, como marketing, vendas etc.

Mas atualmente, a transição de aplicativos de mensagens como o Whatsapp para plataformas reais pode encorajar uma nova tendência para SaaS móvel. Esses aplicativos de mensagens são o catalisador que muitas startups precisam mudar para o celular.

A descentralização de SaaS continua

Em uma era anterior dos negócios, os departamentos de TI centralizados selecionavam a tecnologia para toda a organização. Esses dias já se parecem mais com um passado distante do que com lembranças recentes.

Os aplicativos SaaS têm sido um grande equalizador no acesso à tecnologia dentro das empresas. Pessoas fora da TI agora podem selecionar e adotar os produtos que desejam e precisam.

Os funcionários e departamentos adoram poder se mover rapidamente, encontrar o que funciona melhor para eles e se sentirem capacitados para fazer seu melhor trabalho.

Por outro lado, isso pode criar uma dor de cabeça para os departamentos de TI, que perderam o controle centralizado sobre a tecnologia que está sendo usada e que podem estar enfrentando problemas de “Shadow IT”.

Independentemente disso, vemos a tendência de SaaS descentralizado continuar em 2021. Para empresas de médio porte, o número de proprietários de faturamento por empresa aumentou de 12 em 2019 para 21 de acordo com o relatório da Blissfully, demonstrando que mais e mais pessoas, muitas vezes fora do departamento de TI estão envolvidos na seleção e gerenciamento de aplicativos SaaS.

Algumas categorias de SaaS estão crescendo mais rápido que outras

Andando de mãos dadas com a descentralização SaaS está o uso generalizado de aplicativos em todos os departamentos. Se você olhar para qualquer organização moderna, verá que cada departamento usa produtos SaaS extensivamente.

No entanto, alguns departamentos estão crescendo mais rápido do que outros no que diz respeito ao uso de aplicativos.

O número de aplicativos em uso cresceu em geral, mas em taxas diferentes. Algumas das categorias mais maduras, como vendas, que entrou cedo no SaaS com Salesforce e CRM em geral, é a categoria de aplicativo de crescimento mais lento.

No outro extremo estão os aplicativos de TI e segurança, que cresceram quase 100% nos últimos dois anos. Isso não é muito surpreendente, pois a segurança muda para a nuvem e cria casos de uso, além da explosão na regulamentação de privacidade pelo GDPR, CCPA e outros, criando necessidades inéditas de segurança e compliance.

O Suporte ao Cliente e o RH também continuam crescendo rapidamente, provavelmente à medida que mais aplicativos legados migram para a nuvem e SaaS, especialmente no mundo do RH.

Pontos adicionais para departamentos

Há variação entre a popularidade dos aplicativos e quais aplicativos veem mais gastos.

Às vezes, o aplicativo SaaS mais usado também acumula a maior parte do dinheiro gasto, mas em vários casos, o aplicativo de “maior bilheteria” não tem necessariamente a maior fatia de mercado.

Provavelmente, isso ocorre porque alguns aplicativos custam mais do que outros e as empresas os usam em extensões diferentes.

Embora vejamos a consolidação no mundo do SaaS, também é verdade que há espaço para muitas abordagens diferentes para os problemas que as empresas enfrentam em diversos pontos de crescimento, tamanhos e níveis de maturidade.

A análise de Blissfully percebeu isso em todos os departamentos – em cada categoria, há uma série de players SaaS de alto potencial seguindo os passos dos líderes estabelecidos.

Adicionar comentário