A revolução da Internet das Coisas e suas aplicações

A Internet das coisas ou IoT (Internet of Things) vem permitindo a inovação dos espaços como a criação das cidades inteligentes, uma tendência possibilitada por esta revolução tecnológica.

A smart city é uma tendência e uma mobilização de urbanistas, governos, profissionais de tecnologia em criar cidades inteiramente conectadas, conforme as necessidades de cada região.

São aplicações possíveis da chamada smart city:  a criação de uma rede de energia inteligente (conhecida como smart grid), em que a casa conversa com a empresa geradora de energia e permite monitorar os dados de transmissão ou falhas e, assim, definir um perfil de consumo ou diminuir roubos. Nas residências seria possível identificar com mais precisão quanto cada aparelho está consumindo de energia e ter um padrão de consumo da residência.

A smart city pode ser utilizada ainda para auxiliar o sistema de trânsito, conectando semáforos autônomos, faixas, ruas e carros inteligentes, coleta de lixo, controle de parasitas, sistemas de segurança, entre diversas outras aplicações, tudo em tempo real, contribuindo para auxiliar na resolução de boa parte dos problemas urbanos.

Outro uso que também está sendo estudado é a criação de seguros conectados a carros inteligentes (smatcars) que permitem o pagamento por Km rodado e apólices mais baratas para quem respeita os limites, além de outros benefícios para  o trânsito.

A adoção de wearables (ou dispositivos vestíveis) como pulseiras, braceletes, relógios, óculos, anéis e roupas são promessas para um futuro próximo, especialmente, relacionadas ao mercado de saúde e bem estar. Os gadgets estariam ligados, por exemplo, a smartphones, e passariam informações simultâneas sobre localização, monitorando condições de saúde etc.

As possibilidades da IoT são impressionantes e empresas do mundo todo investem no desenvolvimento dessas novas tecnologias.  A GE tem 10.000 desenvolvedores criando sua plataforma de IoT, chamada Predix. Investimento de mais de US$ 1 bilhão só nesse ano. Já a Samsung planeja investir US$ 1.2 bilhão em IoT nos próximos quatro anos.

Atualmente, a IoT já é aplicada em caixas eletrônicos, rastreamento de transporte urbano, sistemas de segurança e controles básicos da casa.

Conheça a websérie criada pela Navita, em parceria com a FX sobre IoT (Internet of Things)

Adicionar comentário