Por que a gestão de inventário é a chave de sucesso para o TEM?

A gestão de inventário é um dos aspectos mais importantes em qualquer negócio. Ela garante o controle de todos os ativos do empreendimento — o que melhora o entendimento sobre o aproveitamento financeiro. Também é essencial para evitar compras repetidas ou um subaproveitamento do que está disponível.

Quando é executada corretamente, a tarefa serve ao ramo de telecomunicações por meio do TEM. Afinal, esse é um dos principais gastos do empreendimento e deve que ser controlado da melhor maneira.

Para entender como agir da forma adequada, veja algumas dicas para ter uma gestão de inventário de sucesso e capaz de ajudar o ambiente de telecomunicações.

Como fazer o melhor gerenciamento?

Para que a atenção com o inventário traga os impactos esperados, ele deve ser colocado em prática adequadamente. Para tanto, há alguns passos a serem seguidos e que ajudam na organização. A seguir, veja quais são os pontos necessários para obter bons resultados.

Padronize e organize as atividades

O planejamento, na verdade, é o passo inicial da gestão de inventário. Antes de colocar a mão na massa, é recomendado pensar em como tudo vai acontecer para chegar ao sucesso.

O melhor jeito de ter dados sempre confiáveis e comparáveis é por meio da padronização. Estabeleça como cada operação deve ser executada, com regras claras e que podem ser repetidas.

Além de tudo, defina como as tarefas devem se desencadear. Assim, fica mais simples entender quais são as ordens principais das ações.

Determine o dia adequado

Cuidar do inventário exige bastante dedicação da equipe. Quando é feito com elementos que entram e saem o tempo todo, é ainda mais complexo. Então, o ideal é escolher o dia certo.

Separar um período exclusivo para a gestão de inventário é o melhor jeito de otimizar o desempenho. Com foco total nessa tarefa, é possível ter mais segurança nos dados que são encontrados.

Separe e codifique as mercadorias

Em seguida, é o momento de separar e codificar todos os ativos, como as mercadorias. Na área de telecomunicações, pode ser o caso de dar atenção aos serviços.

É importante que cada tipo tenha um código, pois isso favorece o registro e o acompanhamento. Se possível, divida os elementos em grupos menores — como pela função ou situação atual de uso. Quanto melhor for a classificação, maior é o volume gerado de informações.

Faça a contagem

Depois, é o momento de realizar a contagem. Essa parte exige visualizar, por exemplo, quantos telefones estão à disposição da empresa e quantos estão no estoque. O mesmo vale para outros elementos, como periféricos, acessórios e componentes destinados às equipes externas.

Dependendo do tamanho do negócio, o cálculo é extenso. Se for o caso, é recomendado que mais de uma pessoa faça a contagem, de modo que os números devem bater.

Atualize as informações

Após chegar a um resultado final, é a hora de fazer uma atualização dos dados que já foram previamente consolidados. É preciso registrar se o número de ativos cresceu, diminuiu ou se manteve estável, pois isso melhora a visualização e a tomada de decisão.

Os dados têm que ser atualizados periodicamente e devem ser consultados antes da próxima contagem. Com esses registros, há um entendimento completo sobre o que está disponível no inventário, quais são as necessidades e o que merece uma atenção extra.

Qual é a ligação entre gestão de inventário e TEM?

Basicamente, TEM é a sigla para Telecom Expense Management — ou Gerenciamento de Custos com Telecomunicações. Esse programa visa conhecer melhor os recursos de telefonia de uma empresa para evitar perdas, gastos desnecessários ou subutilização.

Para conquistar esses resultados, a gestão de inventário pode ajudar. Frequentemente, ela é associada a lojas e outros elementos do varejo, por causa do estoque. No entanto, também é positiva para chegar ao sucesso com o TEM.

Essa técnica é fundamental, principalmente, na hora de fazer um acompanhamento dos equipamentos, como telefones e acessórios: dá para entender o que tem funcionado e o que precisa de um cuidado extra.

Também é possível partir para softwares e soluções. Elencar todos os elementos contratados, por exemplo, permite que a empresa saiba quais são os recursos disponíveis para o setor de telecomunicação.

A partir do uso dessa ferramenta, é possível diminuir os desperdícios e os custos com compras ou contratos repetidos. Também é um meio de aproveitar melhor os recursos disponíveis e de maximizar a capacidade de gerar bons resultados.

Outro ponto importante é que essa gestão auxilia a realização de auditorias. Ao verificar as condições de certos contratos, a base de dados construída ajuda a definir quais são as alternativas realmente interessantes.

Principalmente, é um meio de tomar decisões melhores. Isso porque o setor de telecomunicações passa por uma verificação total, então os decisores conseguem definir qual é o caminho ideal a seguir.

A gestão de inventário, portanto, viabiliza a execução do TEM de forma completa, robusta e personalizada. No final, há o máximo aproveitamento dos recursos.

Qual é o papel da tecnologia?

Um número maior de ativos leva a um gerenciamento mais complexo de inventário. Isso não pode ser motivo para não realizá-lo, já que é essencial para o sucesso do TEM. Então, o melhor é buscar soluções que automatizem e viabilizem o processo.

O papel da tecnologia é especialmente importante, já que os recursos auxiliam a fazer todo o acompanhamento necessário para tomar boas decisões.

Em primeiro lugar, poder contar com a tecnologia na telecomunicação já é de grande ajuda, pois favorece e simplifica o controle. Isso leva a uma necessidade menor de contabilização, por exemplo, o que facilita o processo.

Também é muito importante adotar plataformas gerenciais. Por meio de um software, é possível fazer a gestão de contratos, de fatura e, é claro, de inventário. Desse modo, dá para saber quantos são os aparelhos distribuídos entre a equipe, os chamados de substituição e assim por diante.

Automatizar as tarefas melhora a produtividade e, principalmente, amplia a confiança sobre o processo. Desse jeito, os dados oferecem uma abordagem realmente útil.

A gestão de inventário é essencial para o sucesso do TEM. Ao cumprir as etapas e incluir a tecnologia na execução, é possível chegar a resultados muito melhores.

O que você pensa sobre essa tática aliada ao TEM? Use o espaço nos comentários e participe!

 

Adicionar comentário