O que é e como funciona a logística reversa?

Nos últimos anos, a proteção ao meio ambiente é um assunto que tem ganhado cada vez mais importância em escala global. 

Mas, apesar da sociedade como um todo estar demonstrando uma maior disposição para resolver os problemas relacionados ao tema, ainda há muito o que ser feito. Principalmente, em relação à reciclagem do lixo.

Atualmente, o Brasil é o quarto no ranking dos países produtores de lixo plástico, segundo um estudo da World Wildlife Fund (WWF). São 11,3 toneladas produzidas por ano, das quais somente 1,28% são recicladas. Um número bem abaixo da média mundial, que é de 9%.

Contudo, ainda assim, já há algum avanço. Em 2020, o país bateu recorde na reciclagem de latas de alumínio. Cerca de 97,4% das que entraram no mercado foram reaproveitadas, segundo dados do setor. Com o programa Lixão Zero, o Governo Federal também avançou na logística reversa de baterias de carro, eletroeletrônicos, medicamentos e óleo lubrificante.

E, apesar de o Ministério do Meio Ambiente ser responsável por grande parte dos projetos que tem como objetivo garantir o descarte correto e a reciclagem de materiais, as empresas também podem fazer a sua parte.

Neste artigo, explicamos o que é logística reversa, como funciona, exemplos do processo em prática e sua importância. Acompanhe. 

Logística reversa: conceito

O conceito de logística reversa, ou inversa, como também é conhecida, é bem simples. Trata-se de um conjunto de ações que têm como foco o retorno de materiais já utilizados para o processo produtivo. 

Ou seja, é o reaproveitamento ou reciclagem de materiais visando à preservação do meio ambiente. 

O conceito surgiu com a publicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei nº12.305, em 2010. Desde então, empresários de vários setores passaram a compartilhar as responsabilidades sobre o ciclo de vida das mercadorias que produziam. 

Como funciona a logística reversa?

Para entender como funciona a logística reversa, na prática, é necessário antes conhecer quais são suas três etapas:

  1. O consumidor devolve o produto ou embalagem ao comerciante/distribuidor;
  2. O comerciante/distribuidor envia ao fabricante/importador;
  3. O fabricante/importador realiza o encaminhamento para reuso, reciclagem ou descarte adequado.

Esses são os estágios básicos que estarão presentes nos três tipos de logística reversa que existem no país. Confira, a seguir, quais são. 

Tipos de logística reversa

#1 Pós-consumo

Entre os tipos de logística reversa, a pós-consumo é a mais colocada em prática pelas empresas e a mais popular entre os consumidores. 

Trata-se de um canal que viabiliza a devolução de mercadorias já utilizadas ou vencidas ao fabricante. Um bom exemplo são as embalagens reutilizáveis, que retornam à organização produtora e são reaproveitadas.

Nessa categoria, também são bons exemplos os produtos descartáveis e os pneus, que, quando não podem ser encaminhados para reuso, são recolhidos para descarte em local adequado. No caso dos pneus, um de seus principais usos é na produção de asfalto. 

#2 Pós-venda

Já a pós-venda é o tipo de logística reversa mais comum nas compras online, pois ela é acionada justamente quando a mercadoria, por algum motivo, não atendeu as expectativas do cliente ou quando ele se arrependeu da compra. Ou ainda, quando o pedido foi incorreto.

Para evitar o desperdício do produto, a empresa realiza a coleta no endereço do cliente  ou oferecendo um código para que ele faça a devolução por correio. 

#3 Reuso

O reuso é um dos tipos de logística reversa mais novos no Brasil. A partir desse método, as empresas conseguem obter lucros dos resíduos que seriam apenas enviados para descarte. A compra e venda desse material ocorre por meio de leilões. 

Além de proteger o meio ambiente e reduzir a poluição, é uma ótima forma dos fabricantes obterem matéria-prima de uma forma mais barata.

Logística reversa: confira dois bons exemplos

A seguir, separamos alguns exemplos de logística reversa na prática, que envolvem tanto a coleta de materiais , quanto ações de  grandes empresas para ajudar o meio ambiente. Acompanhe!

Embalagens 

No quesito embalagens, os dois maiores exemplos de logística reversa, na prática, são a Natura e a Boticário

O programa de logística da Natura existe desde 2007. Até hoje, a companhia já recolheu e enviou para o descarte correto cerca de 500 mil toneladas de embalagens e resíduos. 

Já o Boticário possui cerca de 4 mil pontos de coleta espalhados pelo Brasil. A empresa recolhe embalagens de cosméticos de qualquer marca e depois, encaminha esses materiais para mais de 20 cooperativas de reciclagem. 

Um exemplo prático de como essa ação beneficia o meio ambiente é a embalagem reutilizável do perfume Malbec Club, que evita a utilização de 180 toneladas de matéria-prima virgem anualmente.

Pneus 

A fabricante de pneus Bridgestone é um dos grandes exemplos de logística reversa quando a abordagem consiste em receber de volta produtos já no final do seu ciclo de vida. 

Os pneus já utilizados e gastos são submetidos aos processos de trituração e picotagem. Os fragmentos formados são reutilizados de diversas formas:

  • Confecção de pisos;
  • Borracha para vedação;
  • Peças de reposição para indústria automobilística;
  • Asfaltos;
  • Dentre outros.

Além dos exemplos de logística reversa citados, há muitos outros em diversos setores, como construção civil, aparelhos eletrônicos e até baterias automotivas.

São empresas que compreenderam a importância da logística reversa e já estão colocando em prática ações que não só ajudam a garantir um futuro sustentável para as próximas gerações, além, é claro, de obter benefícios com essa estratégia.

A importância da logística reversa

A importância da logística reversa para a sustentabilidade é enorme, já que ela estimula o consumo consciente e evita o descarte inadequado de materiais, impedindo assim o aumento da poluição.

O impacto dessas ações é gigantesco, pois são justamente as grandes indústrias e empresas que produzem mais poluentes, causando prejuízos ao meio ambiente. 

E, quando uma organização conhecida se torna um exemplo de proteção ambiental, outras tendem a seguir e fazer o mesmo. Além disso, projetos como os mencionados despertam também o interesse da  população para a causa. Com o engajamento dos clientes, a logística reversa traz ótimos resultados.

Portanto, se a sua empresa ainda não pratica nenhum dos tipos de logística reversa, é hora de aderir ao movimento. E o primeiro passo é se atentar ao descarte dos dispositivos móveis. 

Saiba como é a logística reversa de aparelhos celulares (Logística reversa: como gerenciar os aparelhos celulares | Navita).

Adicionar comentário