A importância da gestão de aplicativos em celular corporativo

É inegável a importância do celular corporativo para a mobilidade das empresas. O aparelho permite o acesso a diversos conteúdos e informações, independente de onde o colaborador se encontre, seja no home office ou em uma reunião presencial com um cliente. 

No entanto, quando a organização não realiza a gestão de aplicativos do dispositivo, isso pode acarretar riscos para o negócio, tanto em relação à produtividade dos funcionários quanto à segurança de dados sensíveis. 

Quer saber mais sobre como o mau uso e a não restrição de aplicativos do celular corporativo pode ameaçar o crescimento da sua empresa? Acompanhe o artigo até o final. 

A restrição de aplicativos e a necessidade de proteção

Negligenciar a segurança dos dispositivos móveis é como se a empresa abrisse uma porta para a entrada de cibercriminosos. 

Isso porque, justamente por não possuírem uma segurança tão robusta quanto os computadores, o celular corporativo acaba sendo um alvo muito mais fácil e vulnerável a golpes, roubo e sequestro de informações. 

E como atualmente, eles armazenam informações importantes e relevantes para as empresas, a gestão de aplicativos aliada a boas práticas de uso são essenciais. 

Quer saber como garantir a segurança móvel dos seus dispositivos? Confira neste outro artigo (colocar link para o ID 68)

A importância de restringir aplicativos em celulares corporativos

Apesar das ameaças cibernéticas já se tratarem de uma boa razão para restringir aplicativos e reforçar a segurança dos celulares corporativos da empresa, ainda há outros motivos. 

Como mencionamos, um dos principais fatores que levam as empresas a utilizarem dispositivos é a questão da mobilidade. Essa flexibilidade permite que os colaboradores acessem informações essenciais de qualquer lugar, o que torna o trabalho muito mais dinâmico. 

No entanto, esse deslocamento constante também aumenta as chances do aparelho ser utilizado para fins pessoais, como download de redes sociais, ligações para família e amigos, e uso do aparelho fora do horário de expediente.

Essas práticas tanto aumentam os riscos de um aplicativo malicioso ser baixado e infectar toda a rede corporativa, quanto a empresa ser acusada de explorar ou incentivar o uso do celular depois do horário comercial, tendo de responder legalmente por isso.

Além disso, ao realizar chamadas pessoais, o colaborador ainda pode perder a ligação de um cliente importante, causando prejuízos financeiros a empresa. 

Mas, as consequências de não realizar a restrição de aplicativos não para por aí. Ainda existem outros problemas que podem surgir pelo mau uso do aparelho. 

As consequências de não realizar a restrição de aplicativos

Queda na produtividade

Por um lado, o uso dos celulares corporativos otimizam o uso de recursos, melhoram a comunicação e tornam o trabalho muito mais dinâmico e flexível. No entanto, eles também trazem um desafio: a geração de distração quando são utilizados para fins pessoais. 

Afinal, é inegável que quando a empresa não possui uma gestão de aplicativos eficiente, os colaboradores estão livres para baixar diversos programas, que podem ir desde plataformas de relacionamento até jogos. 

Neste cenário, há uma perda de concentração, o que leva a um comprometimento da produtividade da empresa. 

Corresponsabilidade da empresa

Outra razão muito importante para restringir aplicativos é a corresponsabilidade da empresa referente ao que os funcionários fazem no celular corporativo fora do horário de expediente. Caso ele utilize o aparelho para propagar algum discurso de ódio ou ofensa, a empresa pode responder por isso legalmente e ainda sofrer danos de imagem.

Gastos adicionais com plano de dados

Ao não aplicar a restrição de aplicativos, a empresa também acaba tendo que lidar com gastos adicionais relacionados ao uso excessivo do pacote de dados, que podem ocorrer por conta de ligações pessoais, uso de redes sociais, jogos online, dentre outros.

Uso de aplicativos pessoais

Além da distração, o uso de aplicativos pessoais também compromete o sistema do celular corporativo, tornando-o menos eficiente e ágil. O excesso de downloads exige mais da memória e do processador do aparelho, reduzindo seu tempo de vida útil e gerando mais custos para a empresa. 

Portanto, optar pela restrição de aplicativos nos dispositivos móveis só traz vantagens para a empresa, já que há uma redução de custos significativa, aumento da produtividade e da segurança. 

Como fazer a gestão de aplicativos no celular corporativo?

O modo mais efetivo, seguro e fácil de realizar a gestão de aplicativos no celular corporativo é por meio da ferramenta MDM(Mobile Device Management ou, em tradução literal, Gestão de Dispositivos Móveis).

Seu principal objetivo é justamente realizar o gerenciamento contínuo de todos os dispositivos móveis de uma forma simples. 

A principal vantagem dessa tecnologia é que não é necessário contratar diversas ferramentas para tornar o aparelho mais seguro. Com ela, você conta com inúmeras funcionalidades em um único lugar.

 

Adicionar comentário