Como a Internet das Coisas tem sido utilizada no mundo corporativo?

Um assunto que está em evidência nos últimos tempos é a Internet das Coisas (IoT). Trata-se de uma tecnologia que já deixou de fazer parte de histórias do cinema e está incorporada ao dia a dia das pessoas, inclusive no universo empresarial.

Apesar disso, por se tratar de algo que ainda é muito recente, não é raro encontrarmos empresários e até mesmo gerentes de TI que tenham dúvidas sobre o assunto.

Nosso objetivo, com este post, é justamente explicar o que é a Internet das Coisas e os seus impactos no ambiente corporativo. Acompanhe!

O que é a Internet das Coisas e qual é a sua importância?

A IoT é um conceito que envolve tecnologia, mas que ainda não foi adotado em larga escala. Apesar disso, seu crescimento é notável, tendo em vista que cada vez mais as pessoas utilizam objetos conectados, como caixas de som, eletrodomésticos etc.

Entre os setores que mais se beneficiam da Internet das Coisas estão as áreas da indústria e dos serviços. Quando falamos em automatização de máquinas e interligação de comunicação entre equipamentos, por exemplo, a indústria se beneficia bastante, uma vez que trabalha com máquinas pesadas em linhas de produção.

A IoT é um conceito importante porque apresenta uma nova realidade que está surgindo na sociedade. Os objetos conectados facilitam muito a vida das pessoas, mas, ao mesmo tempo, também geram novos riscos, como invasões a sistemas de empresas ao se praticar o BYOD, por exemplo.

É por conta desses prós e contras que entender sobre a Internet das Coisas é tão relevante. Para isso, os gestores das empresas devem estudar e buscar compreender sobre o tema.

Como essa tecnologia tem sido utilizada no mundo corporativo?

A IoT vem sendo utilizada no mundo corporativo de diversas formas. A sua aplicabilidade pode ser notada visando a customização em massa, a automatização de atividades, a segurança da informação, o ordenamento de máquinas, o mapeamento de necessidades do público-alvo etc.

A seguir, vamos falar brevemente sobre cada uma dessas aplicações. Veja!

Customização em massa

No ramo de serviços, a Internet das Coisas tem uma abordagem voltada para a coleta de informações e devolução em ações. Em hotéis, por exemplo, ela interliga máquinas e customiza a experiência do usuário que usufrui daquele serviço.

Imagine, por exemplo, o hóspede de um hotel que é identificado por meio de um cartão magnético.

Com essa identificação, é possível acionar o elevador, acender as luzes do quarto, aquecer a banheira, utilizar recursos de voz para solicitar uma refeição ou outro serviço de quarto etc. Assim, cada hóspede terá uma experiência única ao passar uma noite no hotel.

Segurança da informação

Quando se fala em IoT, uma das maiores preocupações das empresas está em relação à segurança da informação. Isso se justifica porque elas podem pensar que os dados da organização estão vulneráveis, pois nunca houve tantas informações trocadas como agora. Também deve-se garantir a segurança dos dados dos titulares, não prejudicando a pessoa envolvida no processo expondo ou armazenando seu dados de forma indevida.

No entanto, existem medidas sendo desenvolvidas para evitar que as empresas que utilizam recursos tecnológicos tenham problemas com segurança. A Europa, por exemplo, tem uma legislação específica para isso. O mesmo ocorre no Brasil, com a Lei Geral de Proteção de Dados.

Automatização de atividades

A Internet das Coisas também contribui para que as atividades possam ser automatizadas nas empresas. Isso pode ser implementado em organizações de diversas áreas, sobretudo nas indústrias e no setor de serviços.

A tecnologia pode ser utilizada, por exemplo, em hospitais, nas geladeiras que guardam os órgãos que vão ser transplantados. A IoT pode ser utilizada para interligar o refrigerador com a sala de cirurgia, com o transporte de órgãos.

Dependendo do estado e do momento em que o serviço está sendo prestado, as etapas podem ser acionadas automaticamente. Assim, os cirurgiões poderão executar o trabalho com segurança e com a certeza de que não ocorrerá erros logísticos no decorrer do processo.

Ordenamento de máquinas

Nas indústrias, a IoT vem sendo muito utilizada nas linhas de produção para o ordenamento de máquinas. Em uma fábrica de automóveis, por exemplo, enquanto um robô solda a parte de um carro, outra máquina já está preparando a pintura.

Nesse caso, a Internet das Coisas possibilita que se tenha a contagem exata das peças em produção ou paradas. Dessa forma, a pintura das peças que foram soldadas acontece na ordem exata dos processos produtivos.

Mapeamento de necessidades do público-alvo

A IoT também proporciona o mapeamento de gostos e necessidades do público-alvo das empresas. Do ponto de vista da experiência, é fantástico e as pessoas verão o uso dessa tecnologia como algo muito positivo.

Retomando o exemplo do hotel, é possível mapear se um hóspede pediu toalhas extras utilizando a tecnologia, por exemplo. Assim, em uma outra oportunidade em que ele for ao estabelecimento, já se saberá que essa pessoa gosta de mais itens para banho — sendo possível deixar tudo preparado.

Como preparar a empresa para as inovações da IoT?

Existe uma barreira tecnológica que gera um tempo de maturação para que a IoT chegue de uma vez por todas nas empresas. Entre as principais preocupações das organizações está o quanto será preciso investir para usufruir desses serviços.

Porém, conforme as grandes empresas forem utilizando a Internet das Coisas em seus serviços, as demais deverão seguir o modelo ou ficarão de fora do mercado — que será ainda mais competitivo.

Por agora, além de ficar de olho no desenvolvimento do cenário que está se desenhando, recomenda-se contar com parcerias estratégicas que façam gestão de dispositivos e de custos.

Fazer o inventário de equipamentos, para que se saiba como e com quem eles estão se comunicando, por exemplo, é fundamental. Essas informações são valiosas, pois as empresas têm redes gigantescas e não sabem onde estão os seus dispositivos e quanto eles estão custando, tanto em termos de hardware, quanto de dados.

Se você leu o nosso conteúdo até aqui, deve ter percebido que a Internet das Coisas é um conceito muito mais amplo do que se pode pensar em um primeiro momento. É importante estar atento a essa nova realidade, para que a sua empresa não seja ultrapassada.

Mais conteúdos interessantes como este podem ser enviados por e-mail. É só você assinar nossa newsletter!

Adicionar comentário