Transformação digital no varejo: conceito, tendências, benefícios e aplicações práticas

Em um mercado altamente competitivo, as empresas que trabalham com vendas no varejo em diferentes setores têm uma coisa em comum. Essas organizações devem vender seus produtos aos clientes – e para fazer isso de forma eficaz, elas precisam melhorar seus produtos, processos, instalações e a experiência do cliente. Hoje, a maneira mais eficaz de fazer isso é por meio da transformação digital do varejo.

As empresas precisam atingir a meta de inovação e transformação digital para permitir a entrega de uma experiência de comércio varejista unificada para os clientes. Até mesmo porque eles estão exigindo isso.

Cada vez mais, os consumidores esperam por maiores níveis de contextualização de produtos e serviços. Sendo assim, cabe aos CIOs do varejo aproveitar as tecnologias da transformação digital para capturar insights mais profundos, antecipar as necessidades do cliente e entregar proativamente em cada ponto de contato.

Confira, neste post, um guia completo sobre a transformação digital no varejo, conceito, tendências, vantagens, aplicações práticas e como conduzir a inovação com a ajuda da Navita.

Não perca tempo e inicie a leitura agora mesmo!

Qual o conceito de transformação digital?

A transformação digital no varejo ocorre em três áreas principais: modelos de negócios, atendimento ao cliente e processos organizacionais. Empresários, administradores e especialistas percebem que não é mais possível se manter no mercado em um ambiente cada vez mais competitivo sem o uso de tecnologias modernas.

Para ter sucesso na condução de uma estratégia de transformação digital, as empresas precisam investir em tecnologias de terceira plataforma, como cloud computing e Big Data, para aprimorar e transformar a tomada de decisões.  

Dessa forma, com o uso das ferramentas disruptivas, os varejistas conseguem desbloquear novas fontes de inovação, em vez de apenas atualizar ou modernizar os sistemas legados existentes. 

A transformação digital para o varejo não começa e termina com uma função específica, como um site de carrinho de compras. Na realidade, as organizações devem fazer mudanças profundas em suas operações, cadeias de suprimentos, gerenciamento de estoque e processos de relacionamento com o cliente. Elas devem analisar dados para projetar com precisão a demanda, reagir às necessidades do cliente e enviar produtos com rapidez e eficiência.

A transformação digital no varejo exige, acima de tudo, que os gestores saibam desenvolver estratégias com tecnologias inovadoras para otimizar a operação da empresa e ressignificar a experiência do usuário. 

Os anseios do consumidor e como eles impulsionam a transformação digital

A revolução digital – ou seja, a ascensão do comércio digital – sempre impulsionou a inovação no varejo. Contudo, quando a pandemia do coronavírus avançou, ela não apenas mudou a forma como interagimos, mas contribuiu para a migração de  clientes do varejo físico para o e-commerce. 

A seguir, listamos algumas das razões que potencializam a transformação digital:

A confiança é mais importante do que nunca

Mais de 81% dos compradores on-line ficam ansiosos ao comprar em um site com o qual não estão familiarizados. Sendo assim, no varejo digital, a confiança é um elemento indispensável para o sucesso do negócio. Ela deve ser construída por meio de descrições informativas de produtos e disponibilidade precisa. Para garantir a comunicação de dados em tempo real sobre produtos, preços e remessas, os varejistas podem usar como ferramenta a integração com o ERP .

Os smartphones são parte da vida das pessoas

Segundo dados da Statista, cerca de 6,3 bilhões de pessoas usam smartphones em 2021. Aliás, a transformação digital só é viável graças à popularização dos dispositivos móveis. 

Para os varejistas, estar na web não basta. É preciso ter um conteúdo responsivo, investindo, por exemplo, em um PWA (Progressive Web App). Basicamente, essa é a tecnologia que permite desenvolver um site para que ela pareça e se comporte como um aplicativo nativo independente da plataforma em que é utilizado. 

De acordo com a Smashing Ideas , as empresas que mudam para o PWA notam que o engajamento aumenta de 20% para 250%.

Transformação digital: a automação está em toda parte

As tecnologias de varejo automatizadas, como robôs, drones e caixas automáticos, estão impulsionando a transformação digital no varejo. Os números indicam que essas ferramentas disruptivas podem trazer excelentes resultados para os varejistas. Veja só:

Razões para priorizar a transformação digital entre os varejistas

Embora a pandemia tenha afetado a economia dos países, trazendo instabilidade e impactando no poder aquisitivo das pessoas, vimos um aumento sem precedentes nas compras on-line de B2C e B2B. 

Quanto mais as empresas se preparam para a transformação digital, mais investimentos em soluções inovadoras deverão ocorrer em diferentes áreas do negócio. A expectativa é de que as mudanças na experiência do cliente e adoção mais rápida de ferramentas disruptivas permitam que os varejistas se fortaleçam e sobrevivam nos próximos anos.

Transformação digital: Covid-19 potencializa inovação no varejo

À medida que os clientes se acostumam a procurar tudo on-line, de alimentos a roupas, os varejistas que dependem de vendas físicas precisam pensar em como podem otimizar a experiência do consumidor. 

Antes de qualquer conversa sobre normalização, os investidores, proprietários e varejistas precisam equilibrar seus interesses e chegar a um consenso para trazer de volta a confiança ao setor. A transformação digital é a resposta.

Muito além da migração para o e-commerce, também estamos vendo alterações nas preferências de bens de consumo, padrões de gastos e novos canais de compra. Na prática, os varejistas estão reagindo a essas mudanças, mas também procuram maneiras de melhorar a eficiência operacional. 

Por isso, a transformação digital é tão importante neste momento. Com uma abordagem de inovação e digitalização, os gestores do varejo estão introduzindo novos sistemas de negócios ou conectando os existentes, como soluções de CRM, eCommerce e ERP.

Em contrapartida, outras mudanças são mais graduais. Isso inclui investimentos em análise de dados, robótica e realidade aumentada. Ao que tudo indica, a adesão a essas tecnologias levará mais tempo, mas é inevitável. Afinal, as marcas buscam atender às expectativas dos clientes, prever a demanda futura e procurar trabalhar com mais eficiência, principalmente remotamente. 

Sendo assim, as tecnologias disruptivas contribuem para responder a esses desafios e tornar a estratégia de transformação digital mais robusta.

Necessidade de facilidade nas compras

O consumidor se comunica, interage e realiza pesquisas on-line, então é natural que também use esses canais para compra. A adoção acelerada de dispositivos móveis está impulsionando a demanda por experiências de consumo sem atrito. Os clientes procuram sites de carregamento rápido, com design responsivo e recomendações personalizadas.

Na era da transformação digital, eles buscam marcas que atendam às suas necessidades com informações relevantes sobre o produto, equipe experiente e garantias de segurança. 

De acordo com dados da Optinmonster, a personalização é fundamental para as experiências de compra, enquanto o conteúdo irrelevante tem um efeito oposto, levando à perda de vendas para os varejistas. Essas mudanças aceleram a inovação, impulsionando iniciativas de transformação digital em todo o setor de varejo.

Adoção do omnichannel

Conforme a concorrência aumenta, os varejistas terão que reavaliar suas ofertas em seus mercados e ver onde podem se diferenciar. 

Por exemplo, isso pode significar trazer mais experiências on-line na loja, permitindo que os consumidores digitais façam uma videochamada com os vendedores. Outra possibilidade é usar a realidade aumentada, ajudando os clientes a visualizar produtos com câmeras em dispositivos móveis. O recurso de RA pode tirar dúvidas e orientar as decisões de compra. 

Devido à pandemia, muitos consumidores continuam relutantes em entrar em locais públicos, o que aumenta a demanda por serviços alternativos de entrega e coleta. Por isso, a expectativa é que o modelo “Compre on-line, retire na loja” continue em alta por muito tempo após a pandemia.

Itens pequenos e físicos, como alimentos e bens de consumo, estão perfeitamente posicionados para atender essas novas necessidades de compra. À medida que a transformação digital avança e os clientes se animam com a ideia, não demorará muito até que outros setores de varejo, incluindo B2C e B2B, sigam o exemplo.

Redefinição das funções do varejo

As lojas físicas há muito rastreiam o comportamento do consumidor e as compras para otimizar o layout da loja. No entanto, também é verdade que as lojas físicas podem complementar as vendas de comércio eletrônico. 

De acordo com estudo do ICSC, a abertura de um novo local aumenta o tráfego para o site de um varejista em 37% no trimestre seguinte. O efeito também funciona na direção oposta: a Amazon usa suas lojas físicas, Whole Foods e Amazon Go, para combinar experiência pessoal e digital.

A pandemia também fez com que muitas empresas avaliassem suas cadeias de suprimentos como nunca antes. Com a flutuação da demanda, muitos clientes enfrentaram falta de estoque e atrasos. Agora, os varejistas estão procurando proteger suas cadeias de suprimentos, investindo em iniciativas de digitalização que ajudem as marcas a alcançar suas metas de resiliência e eficiência.

Se bem conduzida, a transformação digital proporciona melhorias na cadeia de suprimentos, como transparência, velocidade e prazos de entrega reduzidos, vantagens mais importantes do que em qualquer outro tempo.

Principais tendências em tecnologia para a transformação digital 

A variedade, o número e as oportunidades dos serviços digitais estão crescendo exponencialmente, sendo que muitos deles moldam as preferências do consumidor e mudam os requisitos para o varejo. 

As tecnologias e plataformas necessárias para satisfazer quase todas as necessidades de negócios nesta área estão disponíveis no mercado. Ou seja, as empresas têm todos os recursos que precisam para fazer a transformação digital acontecer.

Nesse contexto, os varejistas começam a compreender que as mudanças em curso são inevitáveis ​​e que as inovações devem ser introduzidas de forma sistêmica.

Hoje em dia, quem não tem medo de investir em novas tecnologias vence. A seguir, listamos as principais tendências em transformação digital no varejo:

Integração de sistemas

Os dados são essenciais para prever a demanda e reagir rapidamente a novas oportunidades. Então, surgem diferentes maneiras de conectar o software e o volume de transferência de dados aumenta. Esse é o melhor momento para controlar tudo. As integrações perfeitas ajudam os varejistas a compreender todos os aspectos do processo de varejo, desde o gerenciamento de estoque até a produtividade da equipe.

Os sistemas conectados permitem que as marcas entendam como os clientes estão usando seus produtos. Na prática, os dados de comércio eletrônico podem identificar as soluções mais vendidas e oferecer as sugestões certas e personalizadas aos consumidores. Os dados de CRM são necessários para mapear seus melhores clientes e criar campanhas de marketing direcionadas para atrair mais deles.

Além disso, os varejistas precisam manter uma única fonte de informações e garantir que os dados fluam livremente entre os sistemas. Estes podem consistir em ERP, PIM, 3PL, bancos de dados de fornecedores e outros software especializados, simplificando processos como:

  • Exibir preços corretos, disponibilidade e informações de envio aos clientes;
  • Fornecer dados personalizados do cliente, como sugestões e histórico de pedidos;
  • Aumentar a transparência dos processos e gerar melhores projeções de estoque;
  • Gerenciar atendimento de vários locais.

Realidade virtual ou aumentada

À medida que as experiências digitais e físicas se confundem, os consumidores farão compras por meio da tecnologia RA on-line, na loja ou em ambos. As compras on-line se tornarão mais envolventes, oferecendo às pessoas a conveniência, a segurança e o conforto de experimentar os produtos. 

Os varejistas têm a oportunidade perfeita de oferecer experiências digitais diferentes da concorrência.

De acordo com a Deloitte, os produtos de consumo são mais aplicáveis ​​para realidade virtual e aumentada. Os varejistas de automóveis, móveis e maquiagem já obtiveram sucesso com essa tecnologia. As experiências de RA e VR podem ser divididas em ambientes de teste (ver um produto em si), experimentar (ver um produto em seus ambientes) e interagir (uma experiência de RV imersiva).

Transformação digital automatiza fluxos de trabalho

O investimento em automação tem sido implementado no varejo com várias iniciativas de digitalização: desde recomendações de produtos a previsões de demanda e atendimento ao cliente. 

Na transformação digital, um dos usos mais populares da automação é ajudar os varejistas a entender melhor seus clientes, mas isso não é tudo.

De acordo com uma pesquisa da IBM, 85% estão planejando investir em automação inteligente para melhorar suas cadeias de suprimentos. Afinal, à medida que o catálogos de produtos, a base de clientes e as vendas aumentam, a automação se torna uma necessidade. 

Na transformação digital, além da automação de vendas e da integração de dados para experiências de autoatendimento perfeitas, os varejistas devem automatizar também seus processos de back-end. Por exemplo, a cadeia de suprimentos conectada, o inventário e outros dados de back-office garantem a precisão do produto para os clientes, a produtividade da equipe e a otimização do fluxo de trabalho .

Em síntese, a automação é um dos pilares da transformação digital no varejo, com potencial de aumentar significativamente o número de vendas.

Comércio digital 

Ao escolher migrar para o comércio digital, os varejistas podem obter uma série de benefícios:

Capacidade de reação às mudanças rápidas na demanda: as empresas podem vender globalmente ou movimentar-se para mercados, como B2B, B2C, D2C, sem interromper os canais existentes.

Personalização: os portais de autoatendimento permitem que as marcas ofereçam experiências únicas para segmentos específicos. Com a integração com sistemas existentes, como CRM e ERP, os varejistas podem fornecer aos clientes informações precisas de estoque, aumentando as chances de compra.

Processos simplificados: os varejistas podem melhorar a eficiência operacional por meio da automação de back-office. Essa é uma das iniciativas de transformação digital. À medida que a entrada manual de dados é eliminada, os erros também diminuem muito, permitindo que a equipe passe mais tempo com os clientes. Ao investir na solução de comércio eletrônico B2B certa hoje, você prepara seus negócios para o futuro e cria resiliência para interrupções futuras.

Benefícios da transformação digital para o varejo

Todo varejista, como qualquer outro empresário, se esforça para atingir dois objetivos principais – aumentar os lucros e reduzir custos. Sendo assim, a maioria dos varejistas dá atenção máxima principalmente à interação com o consumidor, pois essa direção tem um impacto direto no crescimento do lucro.

Os clientes atuais são dinâmicos e flexíveis. Eles querem não apenas uma entrega rápida e meio de pagamento simples para suas compras, mas também buscam ofertas personalizadas. Os consumidores apreciam quando você lhes oferece o produto certo na hora precisa, usando um canal de comunicação conveniente.

No entanto, a transformação digital não envolve apenas tecnologia. Mesmo que as ferramentas certas sejam cruciais, a experiência apropriada e os parceiros competentes também são importantes.

Para ter sucesso na transformação digital no varejo, as empresas devem aprender como equilibrar com eficiência quatro elementos-chave em suas atividades: pessoas, ação, colaboração e tecnologia.

Transformação digital: aplicações práticas no varejo

Os varejistas, tanto on-line quanto offline, estão em uma encruzilhada. Muitos hesitam em implementar a transformação digital, o que os leva a perder espaço e vez em um mercado competitivo. 

Enquanto isso, os clientes estão respondendo a experiências relevantes, convenientes e significativas e, por sua vez, gastam dinheiro com marcas que oferecem resultados.

Para se manter competitivo, o varejista precisa investir em transformação digital. Conheça algumas ações práticas de digitalização e inovação que podem inspirar você:

Checkout fora da fila de pagamento 

A grande maioria dos clientes não gosta de passar tempo no caixa. Assim como os check-outs de autoatendimento, os check-outs automatizados estão rapidamente tomando conta do cenário do varejo.

Na prática, é possível usar dispositivos móveis para fazer o controle de itens comprados por cada cliente. A Amazon, por exemplo, usa Big Data e IoT para digitalizar itens conforme os clientes deixam a loja.

Neste caso, é importante que os dispositivos sejam bem configurados, preferencialmente no modo quiosque, que permite controle total dos smartphones limitando-os a uma única finalidade. 

Dispositivos móveis que ajudam na compra (verificação de estoque)

Um dos atritos de compra em lojas de roupa é o provador. Se o cliente gostar de uma peça, mas errar na escolha do tamanho ou modelo, ele precisa sair novamente do provador para buscar uma nova peça. Agora, não mais. 

Com a transformação digital, muitas lojas de vestuário adaptaram essa experiência. Elas têm vendedoras que, com a ajuda de um dispositivo móvel (tablet ou smartphone), verificam se a peça desejada pelo cliente está em estoque, está na arara e quais são os modelos disponíveis. Assim, elas buscam a peça para o cliente, que nem precisa sair do provador.

Tablet no caixa ou na saída da loja para pesquisas

Na transformação digital no varejo, outra possibilidade que já se tornou uma boa prática é disponibilizar um tablet próximo à saída das lojas para o consumidor responder sobre sua visita e registrar opiniões e dúvidas, deixando telefone e e-mail para futuro contato se assim desejar. 

Dessa maneira, a empresa tem um canal que fornece real percepção do consumidor sobre o atendimento.

O papel da Navita na transformação digital

A velocidade do desenvolvimento tecnológico e das mudanças no comportamento do consumidor está cada vez mais acelerada. Consequentemente, a capacidade das empresas de mudar com agilidade é um fator-chave para seu desenvolvimento bem-sucedido. 

Seja qual for a sua transformação digital no varejo, ela deve começar logo e ter uma base sólida. Avalie as possibilidades de inovação, pesquise, selecione e implemente a tecnologia certa. 

Durante a jornada de transformação digital, mantenha-se atento aos seguintes desafios:

  • Mudança de cultura. A transformação digital envolve uma abordagem unificada entre os setores. Os departamentos de TI e as partes interessadas internas precisam estar envolvidos, concordar com um plano de ação e trabalhar juntos na iniciativa.
  • Falta de especialização. Para que a transformação do negócio de varejo seja bem-sucedida, os líderes devem ser honestos com suas habilidades e conhecimentos técnicos. Estabeleça o que pode ser feito internamente e onde a ajuda externa é necessária para chegar onde você deseja.
  • Desafios de investimento. Muitos varejistas operam com margens baixas de lucratividade. Isso pode levar à resistência de investimento da liderança.

Para conduzir sua jornada de transformação digital com sucesso, você pode contar com a ajuda da Navita. Se o projeto envolver instalar tablets na recepção de lojas espalhadas por todo o país, nosso time pode ajudá-lo na execução dessa estratégia.

Somos especialistas na gestão de dispositivos móveis para empresas. Com a Navita, você garante o gerenciamento de smartphones e tablets e o controle de aplicativos de forma simples e fácil. 

Assim, além de potencializar a transformação digital, sua empresa ganha mais segurança e produtividade no ambiente corporativo em conformidade com as exigências da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

O Navita EMM é um console de gestão, um ambiente web, acessado por meio de uma URL de qualquer navegador e faz parte do Navita Connect. Sendo responsivo e multiplataforma, permite a gestão a partir de qualquer computador, smartphone ou tablet. 

Em síntese, o Navita EMM é a solução que você precisa para aumentar a produtividade do seu time, evitar dores de cabeça na gestão de dispositivos e fazer a inovação no varejo acontecer. Conheça a solução, faça um teste grátis por 15 dias e potencialize a transformação digital no varejo!

Adicionar comentário