MDM: 9 recursos que impactam financeiramente na sua empresa

Se a sua empresa utiliza dispositivos móveis no dia a dia, então, é possível que você tenha algum mecanismo que te auxilia a gerenciar a segurança de dispositivos móveis, não é? 

Administrar a segurança de seus gadgets é fundamental para a proteção das informações de seus colaboradores, principalmente as da empresa. Ferramentas com esse objetivo específico são denominadas MDM. 

Neste post você vai entender qual é a importância do MDM para a redução de custos nas empresas. Então, prepare-se para fazer um comparativo com a realidade do seu negócio! 

As especificidades do MDM

A sigla MDM significa Mobile Device Management, ou na tradução literal, Gerenciamento de Dispositivos Móveis. O termo se refere às ferramentas que centralizam as informações dos dispositivos móveis e podem operar de forma local ou na nuvem.

No geral, existe um dashboard que permite que os usuários administradores visualizem as mais diversas informações que retratam as configurações dos dispositivos, assim como a possibilidade de alterá-las.

Se você pensa em utilizar uma solução MDM em sua empresa, então precisa conhecer algumas características que são muito importantes (e que fazem toda a diferença) para o bom uso da ferramenta

A partir do momento em que os dados dos usuários, sendo eles, colaboradores e(ou) clientes são armazenados no dispositivo, é preciso ter em mente que todo cuidado é pouco, redobrando a atenção! 

Esse cuidado é tão sério que é preciso compreender que a segurança dos dados é defendida por lei, mas precisamente a LEI Nº 13.709, DE 14 DE AGOSTO DE 2018, ou mais comumente conhecida como  LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados)

Com um volume de dados cada vez maior e com cada vez mais dispositivos conectados, é natural que o índice de ataques cibernéticos siga uma linha ascendente, assim como o aumento do uso dos dispositivos. 

Vazamento de dados, roubo de informações, apps maliciosos ou phishing são apenas alguns dos exemplos possíveis para o grande universo criminoso existente dentro dos meios virtuais. 

São diversas as brechas possíveis de ataques, até mesmo um simples download de aplicativo pode resultar em uma infecção generalizada, passível de ser transmitida para outros dispositivos por meio da rede interna. 

É preciso salientar que aproximadamente 90% dos ataques acontecem por phishing, o famoso ataque acontecido nos meios de comunicação (e-mail, Whatsapp, SMS). 

Você pode estar se perguntando sobre a relação desses índices com o MDM. Saiba que essa relação é muito mais próxima do que se pode imaginar. 

A plataforma de MDM deve operar como um “servidor local”, mais precisamente como um filtro, checando incessantemente a segurança dos dados e garantindo uma usabilidade protegida para os usuários mobile

Os objetivos do MDM

Agora já deu para perceber o quanto é importante estar alinhado com os mecanismos de proteção, não é verdade? O MDM precisa ser um ambiente seguro e preferencialmente modelado para atender os seguintes objetivos: 

  • Produtividade: É muito importante que seja possível habilitar e desabilitar aplicações nos dispositivos mobile. Apps irrelevantes para o cotidiano corporativo ou que ofereçam algum risco em potencial não precisam e não devem ser instalados; 
  • Segurança dos dados: Nesse ponto, a LGPD passa a fazer total sentido, é preciso que sejam estabelecidas as práticas que estão em concordância com a Lei. Senhas complexas, controle dos perfis, restrições de acesso a determinados aplicativos e a habilitação da limpeza de dados remota são bons exemplos disso;
  • Padronização: É fundamental que seja criado um padrão de identidade da empresa nos dispositivos móveis. Isso quer dizer que aplicações, funcionalidades e políticas devem ser replicadas de forma igual em todos os equipamentos;
  • Monitoramento: Os dispositivos precisam estar habilitados para que possam ser rastreados de qualquer lugar, seja para identificar a sua localização, ou mesmo informações de status, como o nível de bateria; 
  • Conformidade trabalhista: Estar em dia com as leis trabalhistas é algo indispensável e é preciso preparar os dispositivos para tal. Uma opção viável é a de controlar os acessos para períodos comerciais e desabilitá-lo em horários alternativos. 

O que uma solução MDM precisa ter 

Perceba que todos esses pontos apresentados anteriormente dizem respeito às boas práticas de utilização. São meios de manter a usabilidade dos dispositivos móveis mais segura e voltada para o aumento da produtividade. 

Agora, você vai conhecer um pouco mais sobre as funcionalidades que fazem do MDM, uma ferramenta indispensável para a realidade corporativa: 

1 – Inventário de dispositivos

Quantos dispositivos existem em sua empresa? Quem são as pessoas que os utilizam? O inventário de dispositivos é uma funcionalidade essencial para o seu software MDM. 

É nele que você poderá obter detalhes importantes sobre cada dispositivo existente em sua empresa e poderá associá-los aos seus respectivos usuários. 

O inventário é fundamental para que você enumere os dispositivos e dê a eles uma identidade (ID) específica. Esses valores são necessários para que os sistemas possam reconhecê-los como pertencentes ao patrimônio da empresa. 

É bem provável que considere que reunir todas as informações em um único local seja algo complexo, ou quase impossível, dado o fato de que os dispositivos estão espalhados com seus usuários. 

Acontece que é exatamente o contrário! Não organizar esses equipamentos e centralizar as informações é, sim, um grande erro. Se uma empresa perde o controle de uso, é muito provável que ela vá se envolver com muitos problemas. 

Centralizar as informações em um inventário de dispositivos mobile possibilita uma rápida conexão a qualquer equipamento conectado à rede, assim como gerenciá-los de qualquer lugar do mundo.

Sabendo-se que o inventário de dispositivos é a sua “central” de monitoramento dos dispositivos móveis, então é importante ressaltar, que essa central possui diversas funcionalidades. São exatamente elas que você conhecerá abaixo.

2 – Gerenciamento de Aplicativos

Para dar mais “vida” aos dispositivos móveis, nada melhor do que contar com aplicativos que possam representar as mais diversas funcionalidades. É por isso que um gerenciador de aplicativos é mais do que essencial. 

Para que um gerenciador de aplicativos possa operar de forma perene por entre os sistemas móveis, é importante que ele esteja associado às principais lojas virtuais, como a Google Play e a Apple Store. 

O gerenciamento de aplicativos por meio do MDM possui como objetivo principal a instalação e a desinstalação remota, assim como a possibilidade de permitir, ou não, a desinstalação dos apps por parte do usuário final. 

Gerenciador de aplicativos na prática

O gerenciador de aplicativos é aquele que faz o elo entre a plataforma de MDM e os terminais (smartphones e tablets). É nele que ocorre o processo de manutenção dos apps que serão disponibilizados para os dispositivos. 

Basicamente, o gerenciador é composto das seguintes características: 

  • Única configuração: Cada equipamento da empresa precisa de uma única configuração para entrar nos padrões adotados pela companhia. Intervenções futuras são possíveis, mas não obrigatórias, visto que sequências de automação serão instauradas nessas tecnologias. 
  • Gerenciamento remoto: Nada de empilhar celulares no departamento de TI. Afinal, o gerenciamento remoto permite que as configurações sejam todas feitas a distância bastando, para isso, um simples clique de logon
  • Sem intervenção do usuário: O usuário pode estar fazendo qualquer outra coisa que não seja utilizar o seu celular. O suporte poderá instalar, desinstalar e(ou) atualizar qualquer aplicação de forma totalmente remota. 
  • Organização por departamento: É muito comum que os departamentos possuam uma série de aplicações que é padrão. Nesse caso, o suporte remoto pode instalar um pacote de aplicações pré-definidas (cluster), agilizando muito o processo. 
  • Blacklist: Algum app malicioso foi identificado? Não há motivos para pânico! O gerenciador de aplicativos poderá enviar esse app para a sua lista de “não recomendados” e ignorá-lo em seu processo de busca. 
  • Modo silencioso: Desde que o celular esteja ligado, o suporte poderá acessar a sua administração para realizar os processos necessários, sem que os usuários tomem conta disso. 

3 – Localização de Dispositivos

Perder um celular é algo horrível mas, infelizmente, é possível de acontecer. É por isso que uma das funcionalidades do MDM precisa ser a localização dos dispositivos. É por meio do sinal de GPS que esses inseparáveis gadgets poderão ser detectados. 

Além de serem encontrados, é preciso detectar a presença do dispositivo em espaços intervalados, já que eles podem estar em movimento, o que dificultaria o rastreamento. 

4 – Aprimorando a segurança dos dispositivos móveis

Sabendo-se que os dados dos clientes e colaboradores são os bens mais importantes que uma empresa pode possuir, é de vital importância que eles sejam devidamente protegidos.

É preciso que a empresa tenha uma política própria de segurança e que ela esteja alinhada aos principais modelos de segurança já existentes na legislação, como é o caso da LGPD. 

É importante ressaltar que se o usuário utilizar a rede local da empresa, então, os níveis de segurança podem ser aumentados, uma vez que ele deverá utilizar as configurações do proxy da empresa, previamente configurado para elevar a segurança.

5 – Time Fence (Controle por Horário)

Essa é uma funcionalidade importantíssima, muito desejada pelos gestores, mas, pouco observada na prática do dia a dia. O controle por horário é aquele que habilita a usabilidade de determinados aplicativos para que operem em períodos previamente determinados. 

Suponha que o período de atividade de uma empresa seja das 08h às 17h. Logo, os aplicativos essenciais para a jornada de trabalho estarão operantes apenas nesses horários determinados. 

Se o dispositivo também é de uso pessoal, então, não há a necessidade de desativar a usabilidade. Nesses casos, é possível restringir apenas aplicações específicas, mantendo o restante dos apps normalmente operantes.

Essa funcionalidade permite que a empresa evite diferentes processos trabalhistas, por determinar que o colaborador atue além do horário estipulado em sua carga horária.

Lembre-se que a ação preventiva é a principal forma de se obter redução de custos nas empresas.

6 – Relatórios Gerenciais

Funcionalidade essencial para gestores e representantes técnicos, os relatórios gerenciais precisam ser emitidos de forma rápida e prática, sempre que necessário.

Um relatório gerencial nada mais é do que uma análise técnicas com as informações gerais relativas a todos os dispositivos, como IMEI, número de série, sistema operacional, modelo e marca do equipamento. 

Essa análise é importante para que se façam futuros updates de sistemas, trocas de equipamentos, é qualquer outra atividade que demande um nível extra de detalhamento. 

Esses relatórios contribuem para enriquecer os dados presentes no patrimônio da empresa, já que poderão oferecer detalhes únicos de cada item. 

É uma função importante também para a redução de custos nas empresas. Afinal, será possível observar os gastos em diferentes perspectivas e com isso, encontrando meios para reduzir o custo médio para a utilização.

7 – Restrições, configurações e políticas

A maior vantagem existente em um software de MDM é a possibilidade de gerenciar os dispositivos de forma remota. Isso funciona muito bem ao considerar o objetivo de atuar nas configurações remotas e a implantação de políticas. 

Após ser configurado e liberado para uso, é muito comum que novas intervenções precisem ser realizadas. Pode ser a troca de um padrão de senhas, a liberação da rede WiFi, entre outras utilidades. 

É nesse tópico que encontra-se a relevância dos ajustes para o bom acompanhamento da LGPD. Com tantas regras, é muito importante deixar tudo 100% em dia com a legislação antes de entregar para o usuário. 

8 – Automação

Um grande ganho dos dispositivos mobile é a possibilidade de se automatizar rotinas. É evidente que uma automação não precisa ser iniciada por mecanismos remotos, porém quando adotada, ela pode trazer muitos benefícios. 

Um exemplo prático é o envio de relatórios de uso para os responsáveis técnicos. Com isso, possíveis brechas para ataques cibernéticos podem ser detectadas de forma prévia. 

Outras operações que permitem uma maximização das operações dos colaboradores também pode acontecer, como por exemplo: envios automáticos de respostas em chats e escaneamento geral dos dados do dispositivo.

Já o gerenciador de aplicativos pode ser utilizado com automação. Assim, todo o processo de vida útil de um app poderá ser acompanhado a distância ou somente analisado via relatório, uma vez que a operação está 100% automatizada.

Outras rotinas que podem usufruir da automação são: 

  • Escaneamento automático: Busca por vírus e spam, operando inclusive em modo silencioso;
  • Envio de relatórios: Relatórios com métricas de usabilidade, como: tempo de acesso, aplicações utilizadas, ligações, mensagens, etc;
  • Atualização de aplicativos: Atualizações para as versões mais recentes dos apps. 

9 – Manutenção remota

É fato, por mais seguro que um dispositivo possa estar, ele ainda poderá sofrer algum tipo de dano em seu sistema. 

O que aconteceria com um colaborador que está longe da empresa e identificou uma falha no equipamento? Seria catastrófico para a sua produtividade. A possibilidade de contar a manutenção remota soluciona esse problema. 

Com poucos cliques, é possível acessar os dispositivos de qualquer parte do mundo e com isso solucionar quaisquer problemas técnicos que possam ter surgido.

Home office: uma tendência inevitável

Fato é, não existe nenhum equipamento que tenha tanto a “cara” do home office quanto os smartphones e tablets. A evolução destes, ao longo dos anos, possibilitou uma ganho de independência geográfica inimaginável. 

Incontáveis profissionais dos dias atuais precisam unicamente de acesso a internet para que possam trabalhar com grande conforto. Com isso, podem gerenciar suas aplicações de qualquer lugar do globo. 

Como você percebeu ao longo do texto, a segurança dos dados é algo primordial e precisa ser avaliada constantemente. Essa é a função de um software MDM, zelar pela segurança no acesso aos dados. 

Se você está buscando a solução certa para a sua empresa, então procure por uma ferramenta que seja reconhecida pelos 3 pontos abaixo. Eles são muito importantes para que você possa ter a melhor experiência possível. 

1º – Segurança: A segurança precisa ser o foco de seu software MDM, ele precisa estar modelado para atender as principais exigências da LGPD. É importante que ele possua funcionalidades como a criptografia de dados e o escaneamento constante. 

2º – Perfil de trabalho: Ao depender do dispositivo que estará conectado à sua central de monitoramento, é importante que se crie perfis separados (uso pessoal e profissional), desde que o aparelho seja de propriedade do usuário. 

3º – Troca de informações: Dada a importância do MDM, o envio de dados para a plataforma é mais do que essencial, com a funcionalidade conhecida como Over the air, torna-se possível enviar dados e aplicativos para qualquer celular, independente de onde ele esteja. 

Transformação digital ao seu dispor

Em um mundo acelerado, onde a transformação digital é uma realidade, estar conectado a tudo e a todos é hoje algo fundamental. Para escolher o software MDM de sua empresa, conte com quem possui uma ferramenta completa e a vivência de mercado necessária para poder transformar a sua rotina.

Se você busca uma plataforma de MDM para transformar a realidade da sua empresa, com todas as funcionalidades apresentadas acima, então, a Navita tem um convite mais do que especial para você!

Aproveite para conhecer agora mesmo o MDM da Navita e descubra uma nova maneira de gerenciar seus dispositivos, de forma totalmente inovadora.

Adicionar comentário